Autores: Maria Rosiene Antunes Arcanjo (UFC, [email protected]), Isabela Alves dos Santos (UFC, [email protected]), Solange Assunção Quintella (UFC, [email protected]), Eduardo Rigoti (UFRN, [email protected]), Sibele Berenice Castella Pergher (UFRN, [email protected]), Rodrigo Silveira Vieria (UFC, [email protected]).

Resumo: Com o aumento da produção brasileira de biodiesel, o principal subproduto dessa produção, a glicerina tem sido acumulada no meio ambiente. Em 2018 foram produzidos 5,25 bilhões de litros de biodiesel (Biodiesel.br, 2019), com consequente geração de 10% de glicerina, ou seja, houve uma produção de 525 milhões de litros. Por isso, é de extrema relevância que pesquisas sejam desenvolvidas voltadas à purificação e utilização do volume excedente de glicerina da produção do biodiesel. A purificação da glicerina geralmente inclui três etapas: neutralização, evaporação e refinamento. Este último passo é responsável pela alta pureza da glicerina (Farias et al., 2019).

Combinado ao processo de purificação é importante avaliar a aplicação da glicerina purificada em diferentes reações, como a sua valorização por esterificação, eterificação, polimerização, desidratação, acetilação. A esterificação catalítica da glicerina (Gli) com o ácido oleico (AO) pode produzir numerosos produtos de alto valor comercial como o mono-, di- e tri-oleato de glicerol que possuem uma gama de aplicações alimentícias, farmacêuticas, cosméticas e industriais (Kong et al., 2019). Atualmente, os processos de esterificação industriais são realizados na presença de ácidos homogêneos de Brønsted, como ácido sulfúrico ou ácido ptoluenossulfônico. No entanto, estes catalisadores ácidos homogêneos são difíceis de reciclar e geram sérios problemas ambientais assim como, problemas de corrosão.
Com isso, se torna extremamente interessante a síntese de ésteres usando catalisadores heterogêneos no lugar dos catalisadores líquidos homogêneos (Chaari et al., 2017).

O uso de carbono mesoporoso ordenado (CMO) ou Carbon Mesostructured from Kaist (CMK-n) como catalisador nessas reações fornecem poros uniformes e ordenados que favorecem a difusão de moléculas e contribuem para um excelente desempenho catalítico (Gao
et al., 2015). Dentro do grupo de sólidos ácidos, os carbonos sulfonados vêm ganhando destaque devido aos resultados promissores para reações de esterificação. O principal objetivo da funcionalização é produzir um catalisador altamente estável com alta densidade de sítios ativos de – SO3H, apresentando boa performance em reações de esterificação de ácidos graxos, além de poder ser reutilizado em outras reações.

Neste contexto, o objetivo desse estudo foi investigar a aplicação do glicerol purificado advindo de uma indústria de biodiesel na esterificação com ácido oleico na presença de CMO funcionalizado com –SO3H como catalisador. Tornando assim, este um processo econômico, por dois fatores: alternativa para o uso do glicerol e emprego de carbono como catalisadores heterogêneos, que possuem mais vantagens em relação aos catalisadores homogêneos.

7° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia e Inovação de Biodiesel pg 341