imprimir

AUTORES: Francielle Bücker (PPGMAA/UFRGS, franbucker@gmail.com), Michele Espinosa da Cunha (IQ/UFRGS, micheledacunha@hotmail.com), Patricia Dorr de Quadros (PPGMAA/UFRGS, patiquadros11@yahoo.com.br), Sabrina Becker (PPGMAA/UFRGS, sabrinabeker@gmail.com), Juciana Clarice Cazarolli (PPGMAA/UFRGS, jucianacazarolli@gmail.com), Elina Bastos Caramão (IQ/UFRGS, elina@ufrgs.br), Ana Paula Guedes Frazzon (PPGMAA/UFRGS, ana.frazzon@ufrgs.br), Fátima Menezes Bento (PPGMAA/UFRGS, fatima.bento@ufrgs.br)

RESUMO: A preocupação com perdas econômicas no setor de combustíveis é uma questão de interesse mundial, sendo que problemas associados à contaminação microbiana de diesel e biodiesel, durante o transporte e o armazenamento, são de grande preocupação neste sentido. A demanda mundial por combustíveis oriundos de fontes alternativas de energia, como o biodiesel, vem aumentando anualmente. Além de sua origem ser matérias primas renováveis outras características associadas ao biodiesel o tornaram ambientalmente aceitável no mercado mundial de transportes. Porém a adição do biodiesel ao diesel, torna o combustível mais suscetível ao ataque microbiano, levando a formação de biofilmes nos tanques, e prováveis danos, como entupimentos de filtros e danificar componentes do motor dos veículos que vierem a ser abastecido. Os objetivos do estudo foram avaliar o crescimento microbiano na interface óleo-água, quantificando a biomassa (mg), e análise da degradação de ésteres de ácidos graxos e alcanos por GC/qMS.

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 2, p. 1035