AUTORES: Filipe Lins da Silva (IQB/UFAL, filipe.lins@hotmail.com), Simoni Margareti Plentz Meneghetti (IQB/UFAL, simoni.plentz@gmail.com), Janaína Heberle Bortoluzzi (IQB/UFAL, janaa90@hotmail.com)

RESUMO: O Biodiesel é uma alternativa de combustível renovável, não tóxico, biodegradável, não inflamável, livre de enxofre e que contribui para a redução de emissão de gases aromáticos e CO2. O biodiesel é composto por uma mistura de ésteres alquílicos de ácidos graxos derivados de óleos e gorduras, vegetais ou animais, tais como, soja, mamona, dendê, girassol, babaçu, pinhão manso, sebo bovino, gordura de frango dentre outras. No Brasil, aproximadamente 79% da produção de biodiesel é proveniente do óleo de soja, 14% é com base na gordura bovina e o restante da produção é oriunda do óleo de fritura, de óleo de algodão, gordura de porco, gordura de frango, óleo de palma e outras. O biodiesel brasileiro é fiscalizado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que, na RNº45 de 2014, determina a utilização da norma EN14103 para quantificação de FAMEs. Assim, a
finalidade deste trabalho foi comparar a metodologia EN14103 com um método alternativo baseado em cromatografia gasosa com fator resposta para análise de biodiesel proveniente de diferentes matérias-primas.

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 2, p. 1113

print