imprimir

AUTORES: Yolanda da Silva Penha Pessanha (TPQB/UFRJ, yolandaspp@gmail.com), Vinicius Rossa (TPQB/UFRJ, vinnyrossa@gmail.com), Willian Melo Poubel (DERU/UFES, willian.poubel@ufes.br), Donato Alexandre Gomes Aranda (DEQ/UFRJ, donato.aranda@gmail.com)

RESUMO: O histórico de adição do biodiesel ao óleo diesel reflete, entre outras coisas, o crescimento da produção de oleaginosas para fins energéticos, sobretudo o uso mais intensivo da capacidade instalada das usinas para a produção do biocombustível. A contínua elevação do percentual de adição de biodiesel ao diesel demonstra o sucesso do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel e da experiência acumulada pelo Brasil na produção e no uso em larga escala de biocombustíveis. Uma das metas no setor industrial moderno é o reaproveitamento ou a exploração de produtos secundários provenientes dos processos industriais, principalmente os resíduos destinados à disposição. A reação de acetalização tem sido pesquisada devido ao potencial uso dos produtos como aditivos na gasolina e na mistura biodiesel/óleo diesel, devido à redução na viscosidade. Os acetais de glicerol, também conhecidos como glicerol formal são usados como surfactantes, aromatizantes, desinfetantes, em cosméticos como em fragrâncias, na indústria de alimentos na indústria farmacêutica. Os acetais oriundos de reação com formaldeído possuem baixo ponto de fulgor, portanto, não podem ser utilizados como aditivo na mistura biodiesel e diesel para motores do ciclo diesel. O planejamento de experimentos é útil para mensurar influências de uma ou mais variáveis na resposta de um processo, sendo a única fonte de predição de interação entre os fatores. Para avaliar o melhor modelo, robusto e representativo estatisticamente, é necessário avaliar três condições na seguinte ordem: 1) Soma dos quadrados, no qual a Prob >F tem que ser menor do 0,05; 2) Lack of Fit, o qual Prob>F tem que ser maior do que 0,05; 3) R2 e R2 ajustado, os quais devem ser os mais próximos do valor unitário. Neste trabalho foi estudada a produção dos compostos 5-hidróxi-1,3-dioxana e 4-didróxi-1,3-dioxolana pela reação de acetalização de glicerol com formoldeído na presença de catalisador ácido (H-BETA).

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 2, p. 947