imprimir

 Um avanço nas metas e no marco regulatório do uso de biodiesel foi cobrado pelo senador Valdir Raupp (PMDB-RO) nesta terça-feira (7). Em pronunciamento em Plenário, o senador afirmou que o Brasil já alcançou os objetivos de produção esperados para 2013 e que este é o momento de adotar a mistura de 7%, o chamado biodiesel B7. 
 
O senador explicou que, do ponto de vista técnico, misturas de até 20% de biodiesel não exigem alterações na regulagem dos motores a diesel. Além disso, o biodiesel é menos poluente, vem de matéria-prima nacional e beneficia tanto grandes produtores quanto médios e pequenos, vinculados à agricultura familiar. Hoje, no Programa Nacional de Biodiesel, aproximadamente 76% do combustível renovável tem soja como matéria-prima, seguida de sebo bovino (17%) e óleo de algodão (4%). 
 
Outro ponto positivo do biodiesel é ser um combustível renovável, que reduz a dependência brasileira em relação ao diesel de origem mineral. Atualmente, o diesel importado representa 20% do total utilizado no país.
 
Já o biodiesel B7, ressaltou Valdir Raupp, pode ser implantado de imediato, sem risco para o meio ambiente. Ele conta ainda com mais duas vantagens, acrescentou o senador. A primeira é a disponibilidade de matéria-prima, com a supersafra de soja esperada para 2013. Raupp ressaltou que, neste ano, o Brasil pode se posicionar como maior produtor de soja do mundo. A safra está calculada em 82 milhões de toneladas desse grão, sendo 46% processadas em fábricas esmagadoras nacionais. No total de grãos, o Brasil produz 180 milhões de toneladas. 
 
A segunda vantagem é aproveitar a capacidade instalada da indústria nacional. Até o ano passado, as processadoras de óleo de soja do país estavam funcionando com quase 60% de ociosidade. Com a supersafra, seria garantida 100% de utilização da capacidade industrial instalada. 
 
– Esta é a oportunidade ideal para avançarmos no marco regulatório do biodiesel, passando a mistura para 7%. Há mais de um ano, o setor aguarda a tomada de decisão do governo a respeito dessa mudança, que seria altamente benéfica para Brasil – afirmou. 
 
O senador registrou ainda que em 2012 a agricultura familiar faturou R$ 2 bilhões com a venda de matéria-prima para a produção de biodiesel. O setor reúne 104 mil estabelecimentos, envolvendo mais de 300 mil pessoas. 
 
OMC
 
Valdir Raupp comemorou também a escolha do embaixador Roberto Azevedo para diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC). O senador salientou que este é o cargo mais importante já conquistado por um diplomata brasileiro em organismo internacional.