Autores: Nataly Albuquerque dos Santos (UFPB, [email protected]), Angela M. T. M. Cordeiro (UFPB, [email protected]), Amanda D. Gondim (UFRN, am[email protected]), Ieda M. G. dos Santos (UFPB, [email protected] ), Ary da Silva Maia (UFPB, [email protected]), Antonio Gouveia de Souza (UFPB,[email protected])

Resumo: Uma das principais preocupações dos órgãos reguladores em relação à especificação do biodiesel é a estabilidade à oxidação. Esta propriedade varia substancialmente, já que as matérias-primas possuem ácidos graxos de diferentes perfis.

Os processos oxidativos, inerentes ao biodiesel, são intensificados na presença de ar (exposição ao oxigênio e à água), luz, calor e pró-oxidantes (hidroperóxidos e traços de metais). Como consequência, ocorrem mudanças nas suas características físicas e químicas, tais como aumento na viscosidade, densidade e quantidade de polímeros, que resultam da formação de gomas e sedimentos, podendo causar problemas no funcionamento do motor (Maia, et al., 2011; Siddharth e Sharma, 2011a).

A literatura (Siddharth e Sharma, 2011b; Sarin et al., 2010; Santos et al., 2011) tem mostrado que traços de metais de transição, tais como cobre, ferro, alumínio, cromo e manganês, catalisam a oxidação do biodiesel, resultando na redução do período de indução. Apesar do biodiesel não conter metais de transição, em níveis significantes, estudos recentes afirmam que traços destes elementos podem ser introduzidos ao combustível, principalmente, durante o processamento, o transporte e o armazenamento.

O efeito catalítico de cada metal é distinto e depende de fatores tais como estado de oxidação, potencial redox, tipo de solventes, disponibilidade de oxigênio, presença de hidroperóxidos, tipo de complexo formado, entre outros. O mecanismo mais simples para a catálise de metal envolve a transferência de elétrons de uma ligação dupla dos lipídios a um íon metálico ou, mais geralmente, a partir do hidrogênio (bis-)alílico em moléculas lipídicas, levando à formação de radical. Em alguns casos, ocorre a formação de complexos ativados com O2.

Neste contexto, este trabalho teve como objetivo investigar a influência dos cátions dos metais de transição Mn, Co, Cu, Fe, Cr e Zn e Ni na estabilidade oxidativa do biodiesel etílico de soja pelos métodos rápidos Rancimat e PetroOxy.

Trabalho completo: 7° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia e Inovação de Biodiesel, p. 45