imprimir

AUTORES: Andréia Aparecida Jacomassi Carneiro (andreia.jacomassi@colaborador.embrapa.br), Augusto Lopes Souto (augusto.souto@colaborador.embrapa.br), Gleiciane Pinheiro de Sousa (gleiciane.sousa@colaborador.embrapa.br), José Antônio Aquino Ribeiro (jose.ribeiro@embrapa.br), Patrícia Pinto Kalil Gonçalves Costa (patricia.costa@embrapa.br), Thaís Demarchi Mendes (thais.demarchi@embrapa.br), Léia Cecília de Lima Fávaro (leia.favaro@embrapa.br), Thaís Fabiana Chan Salum (thais.salum@embrapa.br), Patrícia VerardiAbdelnur (patricia.abdelnur@embrapa.br), Clenilson Martins Rodrigues (clenilson.rodrigues@embrapa.br), Mônica Caramez Trichez Damaso (monica.damaso@embrapa.br), Embrapa Agroenergia (CNPAE/DF)

RESUMO: Devido ao aumento mundial da produção de biodiesel, está sendo gerado o excedente de glicerina. Sendo assim, surgem oportunidades para novas aplicações para esse coproduto. Uma das vertentes que pode ser utilizada envolve os processos biotecnológicos, os quais empregam microrganismos que podem transformar a glicerina em compostos químicos de valor agregado.
A palma possui características agronômicas interessantes e pode ser uma fonte promissora de óleo para
a produção de biodiesel. Sendo assim, a Embrapa Agroenergia e parceiros estão desenvolvendo um projeto de pesquisa que visa propor soluções tecnológicas para os resíduos e coprodutos gerados na cadeia produtiva do biodiesel produzido a partir deste óleo. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi
selecionar microrganismos capazes de biotransformar a glicerina bruta de palma, coproduto da produção de biodiesel metílico, em compostos químicos de valor agregado. Foi feita a avaliação do finger printing metabólico dos compostos produzidos, empregando abordagens analíticas que envolvem espectrometria de massas seguida da análise multivariada de dados, estratégia adotada na análise metabolômica de diversos segmentos.

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 2, p. 839