imprimir

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e entidades do agronegócio assinaram na manhã desta segunda-feira, 31, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), manifesto de apoio à prioridade do setor de biocombustíveis por meio do RenovaBio, programa lançado pelo governo federal para incentivar a expansão e a produção do segmento no Brasil.

“É urgente a aprovação de um novo marco regulatório que promova ganhos da produtividade”, afirma texto que foi lido pelo representante da sociedade civil no Conselho Nacional de Política Energética, Plinio Nastari.

O manifesto reforça, ainda, que o biocombustível colabora com a redução da emissão de gases de efeito estufa, gerando empregos. “O biodiesel é adicionado ao diesel fóssil na proporção de 8% e deve ter elevação desse índice a 10% a partir de março de 2018, com potencial de chegar a 20% até 2030”, diz.

Ao firmar o seu apoio, Alckmin destacou a contribuição que o RenovaBio pode dar o planeta. “Pode vir ao encontro do acordo do clima, aumentando a participação do etanol, do biodiesel, do bioquerosene, do biogás e da bioeletricidade. Isso gera muito emprego e o Brasil pode ser um exemplo para o mundo, como já somos na questão da sustentabilidade”, comentou.

O presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp (Cosag), Jacyr Costa Filho, ressaltou, durante seu discurso, o potencial de geração de investimento do setor.

No total, 18 entidades assinaram o documento, entre elas, a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio). Para o presidente do Conselho Superior da Ubrabio, Juan Diego Ferrés, o Brasil está dando um novo passo com o programa. “O RenovaBio visa criar um mecanismo econômico que reconhece as externalidades positivas dos biocombustíveis e cria uma espécie de commodity adicional à nossa atividade, que é o mercado de carbono”, explica.

B20

Durante o evento na Fiesp, o diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, solicitou ao governador a adoção do B20 nos ônibus que fazem o transporte público dos municípios paulistas. “A indústria de biodiesel já tem plena capacidade de atender essa demanda”, afirmou.

Leia também

Parlamentares defendem Medida Provisória para RenovaBio

Ônibus movidos a B20 começam a circular em Brasília