imprimir

29/04/2019 – O pesquisador da Embrapa Agroenergia Bruno Laviola foi o entrevistado para falar sobre a produção do biodiesel no Brasil. Durante o programa Conexão Ciência, ele mostra como o Brasil, além de ser conhecido como país produtor de alimentos, tem se destacado nos últimos anos também na produção de energia renovável.

Ele apresentou as pesquisas desenvolvidas pela Unidade no setor de biocombustível e também as vantagens econômica, ambiental e social dessa fonte renovável. Atualmente, o Brasil é o segundo maior produtor de biodiesel do mundo. Apenas em 2018 foram produzidos cerca de 5,3 bilhões de litros do produto.

O pesquisador falou das vantagens do Brasil em relação aos demais países, principalmente pelo clima tropical e pela disponibilidade de terras cultiváveis para produzir alimentos e energia. Outros aspectos positivos destacados com a produção do biodiesel são: a redução de emissões de gás carbônico, que atenua os efeitos do aquecimento global; a melhoria da qualidade do ar; e também as questões sociais que estimulam a agricultura familiar, gerando mais renda para o setor.

Na região Centro-Sul, concentra-se a maior produção de biodiesel do País, que corresponde a mais de 80% da quantidade produzida, enquanto o Norte e o Nordeste fornecem apenas 9% do total. “Para equilibrar a produção de biodiesel no País, a Embrapa vem trabalhando na geração de tecnologias para o cultivo de oleaginosas, considerando os aspectos regionais, como o caso da tropicalização da canola, macaúba e palma de óleo”, acrescenta Laviola.

Nesse sentido, pesquisadores da Embrapa Agroenergia em parceria com entidades do setor do biodiesel, criaram uma agenda de inovação para atender as reais demandas do setor na produção do biocombustível, além das metas a serem alcançadas. A proposta foi debatida na Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Biodiesel e de Oleaginosas, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em um grupo de trabalho para elaborar uma Agenda de Inovação para a Cadeia Produtiva do Biodiesel.

“Para cada uma das metas dentro da agenda nós trabalhamos algumas ações estratégicas no campo da pesquisa em desenvolvimento de tecnologia para gerar a inovação; da transferência de tecnologia para o setor produtivo; e também para a complementação das políticas públicas para viabilizar a inovação”.

O programa do biodiesel passou por transformações ao longo dos anos, no ano de 2008 a legislação tornou obrigatória a mistura do biodiesel no diesel vendido ao consumidor final, na proporção de 2%. Hoje já estamos com 10% de adição.

Fonte: Embrapa Agroenergia