imprimir

“Eu acredito que entre cinco e dez anos teremos bioquerosene no Brasil”, é o que afirma Amanda Gondim, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em entrevista concedida à Ubrabio.

Em maio fará dois anos que os fundadores da Rede Brasileira de Bioquerosene e Hidrocarboneto Renováveis para Aviação (RBQAV) observaram que, enquanto no mundo os aviões já decolavam com bioquerosene, no Brasil, apesar de esforços isolados de algumas empresas e de setores do governo, ainda não havia um grande interesse por parte da academia em investir em pesquisas para o desenvolvimento da tecnologia.

Visando divulgar, debater e apresentar os obstáculos que impedem a implementação de combustíveis sustentáveis de aviação, a RBQAV foi criada em 2017, durante o seminário de celebração de dez anos da Ubrabio para mobilizar esforços entre poder público, setor privado e pesquisadores.

Para isso, são realizadas palestras, workshops e eventos para tratar de pautas como a importância de descarbonização do setor; benefícios de utilizar um combustível mais limpo junto ao querosene fóssil; e o potencial brasileiro diante da oferta abundante de biomassas sustentáveis.

Segundo Amanda, que também é coordenadora da RBQAV, desde o lançamento da rede, já é possível observar um aumento de cerca de 30% de pesquisadores e empresas trabalhando para desenvolver uma cadeia de produção de combustíveis renováveis para o setor aéreo.

Dentre os principais trabalhos, Amanda destaca o trabalho realizado em conjunto com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na discussão e regulamentação de diferentes rotas de produção de – para ampliar o mix de matérias-primas – e também dos co-produtos que sairão das biorrefinarias.

Questões como desafios logísticos, de distribuição e de preço também entram na lista de gargalos que o país precisa superar para viabilizar esta nova indústria, cuja demanda já está à porta – a partir de 2020 a aviação internacional precisa neutralizar suas emissões de carbono e para isso vai precisar de soluções como os biocombustíveis.

Nessa perspectiva, entre os dias 5 a 7 de junho, a RBQAV realiza o I Congresso da Rede Brasileira de Bioquerosene e Hidrocarbonetos Renováveis para Aviação, em Natal-RN. O evento científico reunirá pesquisadores, representantes da indústria, governo e agentes interessados para apresentar os desafios e oportunidades durante uma extensa programação com palestras nacionais e internacionais, painéis de debates, trabalhos técnico-científicos, minicursos e exposições científicas.

“A proposta é dialogar e pensar as próximas ações para viabilização combustível no Brasil”, finaliza a pesquisadora.

Os interessados em expor no evento podem submeter trabalhos até o dia 03 de maio clicando aqui.

As inscrições com desconto também vão até 03 de maio e podem ser feitas aqui.

Entre a vasta programação estão os dois minicursos:

1 – Regulamentação e garantia da qualidade de combustíveis de aviação sustentáveis

  • O crescimento do transporte aéreo e os compromissos internacionais e nacionais de redução de emissões de GEE na aviação;
  • Conceitos: querosene de aviação fóssil, querosene de aviação alternativo, querosene de aviação sustentável, bioquerosene, gasolina de aviação;
  • A ASTM e o desenvolvimento de normas técnicas para combustíveis de aviação;
  • Especificação internacional do QAV fóssil (ASTM D1655);
  • Principais ensaios para certificação do QAV;
  • Aprovação de novos querosenes de aviação alternativos: protocolo de testes segundo ASTM D4054;
  • Principais rotas de produção de QAV alternativo;
  • Especificação internacional QAV alternativo (ASTM D7566);
  • O papel da ANP na promoção da produção e uso de combustíveis sustentáveis para aviação (SAF). Atualização da regulamentação (Resolução ANP nº 778/2019), Projeto ProQR, RenovaBio;
  • Entendendo o potencial dos SAF: balanço de carbono dos combustíveis de aviação fóssil versus alternativos.

Especialistas: Dr. Fábio Vinhado (ANP), Dra. Lorena (ANP); Eng. Marcelo Gonçalves (EMBRAER)

2 – Rotas Tecnológicas para produção de combustíveis para aviação

  • Introdução: Biocombustíveis e Biorrefinarias; Combustíveis drop-in; Processos de conversão de biomassa;
  • Hidroprocessamento de óleos vegetais; Variáveis do processo; Catálise.
  • Gaseificação: Definição, etapas reacionais, variáveis importantes no processo, rotas tecnológicas, fischer tropsch e ferramentas computacionais;
  • Pirólise: Processos de pirólise; tipos de reatores de pirólise; produtos de pirólise; Pirólise Rápida; Pirólise Catalítica; Melhoramento do Bio-óleo;
  • Eletrocombustíveis renováveis sintéticos: Arranjos tecnológicos, nichos de aplicação e entrada de mercado.

Especialistas: Profa. Dra. Nataly Alburquerque (UFPB), Prof. Dr. Ary Maia (UFPB), Profa.Dra. Mikele Santana (UFMA), Profa. Dra. Amanda Gondim (UFRN), Profa. Dra. Aruzza Araújo (UFRN), Torsten Schwab (ProQR GIZ)