imprimir

O grande potencial da Macaúba para a produção de combustível renovável, além de sua capacidade de aproveitamento integral de seus produtos e aplicação em diversos setores, como a produção de cosméticos, carvão ativado e ração animal, tem atraído cada vez mais empresas com interesse na espécie. Nesse sentido, a Acrotech recebeu em sua sede, em Viçosa (MG), o Assessor Técnico para Combustíveis Renováveis da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, Pedro Scorza, no dia 10 de fevereiro, para verificar o grau tecnológico em que se encontra a espécie, além de analisar o status da produção em escala da palmeira.

Pedro Scorza, que também é diretor de Biocombustíveis da Aviação da UBRABIO (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene), disse que a Macaúba tem se mostrado a melhor opção para atingir a viabilidade econômica necessária. Ele também destaca a capacidade de domesticação e manejo, além de sua ocorrência natural no país, destacando Minas Gerais como um dos estados com maior potencial de produção.

“A UBRABIO tem a missão de desenvolver o uso e a indústria de combustíveis renováveis no Brasil, focada no Biodiesel, Diesel Verde e Bioquerosene, sabendo dos benefícios econômicos e sociais e além da redução dos impactos ao meio ambiente comparados aos combustíveis fósseis. A produção de bioquerosene a partir da Macaúba se mostra como um novo caminho de alto potencial a ser desenvolvido no Brasil, por isto o interesse da UBRABIO neste projeto” – explicou Scorza.

A busca por fontes renováveis economicamente viáveis para a aviação, segundo Scorza, é estimulada pelo grande volume de combustível fóssil consumido anualmente e ao fato do custo do combustível renovável ter um forte componente no custo da biomassa e da logística. Assim, somente soluções altamente integradas e otimizadas poderão atingir viabilidade econômica em médio prazo.

Segundo o Diretor Comercial da Acrotech, Felipe Morbi, a Macaúba é capaz de contribuir para atender às principais demandas mundiais: energia, alimento e sustentabilidade. A Acrotech é detentora da tecnologia de germinação, produção de mudas e de um grande banco de dados da espécie, fruto de sete anos de pesquisas e que, agora, está disponível para o mercado.

O Comandante Scorza disse que a Acrotech demonstra ter todo o potencial para suportar a implantação comercial da Macaúba como biomassa, para a conversão em Biocombustíveis e energia renovável, a se iniciar este ano, além da empresa estar atualmente no estado da arte no desenvolvimento de mudas para a comercialização.

“A GOL tem diversos projetos internos que visam à redução do impacto ambiental por meio do uso racional de energia, ganhos de eficiência na operação, adequação de infraestrutura aeroportuária e do espaço aéreo, além dos projetos de substituição de combustível de origem fóssil por combustível renovável (Bioquerosene e Diesel Verde). Todos estes projetos estão de acordo com as mais modernas práticas da Industria, alinhados com as diretrizes internas de sustentabilidade da empresa” – declarou o Assessor.

“O estabelecimento de uma cadeia de valor da Macaúba em médio e longo prazo, altamente integrada, associada à instalação de uma biorefinaria nas cercanias de Belo Horizonte (MG), levará a GOL a ter capacidade de uso de combustível renovável em todos os seus voos partindo do Aeroporto Internacional Tancredo Neves em Confins (MG). A GOL seguirá apoiando a implantação da cadeia de valor da Macaúba e fará a compra deste combustível renovável em condições comerciais compatíveis aos custos do combustível fóssil no momento da disponibilização”, concluiu Pedro Scorza.