Na última quarta-feira (16), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), em parceria com uma fabricante multinacional de veículos, assinaram um convênio de R$ 4,3 milhões para a pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para o setor automotivo.

A parceria prevê a realização de pesquisas e cursos. No entanto, o principal projeto, estimado em R$ 2,3 milhões, prevê o desenvolvimento de um motor para veículos comerciais leves.

A intenção é que ele seja movido a combustível composto por 30% de biodiesel e 70% de diesel. O resultado do trabalho deve ser apresentado ao governo brasileiro até 2013.

Os recursos investidos virão da linha de financiamento de pesquisa do Inmetro. O estudo será conduzida por pesquisadores do Inmetro e da montadora, nos laboratórios do instituto, localizados em Duque de Caxias (RJ).

Além do motor a biodiesel, o convênio também prevê a avaliação da aplicação do óleo vegetal in natura, a base de soja, em motores abastecidos com diesel.

O objetivo da pesquisa é solucionar problemas relacionados à utilização desse combustível como viscosidade, partida a frio, inibição de glicerina e emissões.

Para todos os projetos de pesquisa estão previstos prazos de conclusão e apresentação dos resultados. Em relação à entrega dos projetos, o prazo mais longo – o do carro movido a biodiesel – é de 24 meses.

print