imprimir

A ANP realizou hoje (23/11) a cerimônia de entrega do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2018, no Rio de Janeiro. Nas cinco categorias do Prêmio, concorreram 102 resultados de projetos, de universidades, empresas petrolíferas e empresas brasileiras. A avaliação dos vencedores foi feita com base nos critérios de originalidade, relevância, aplicabilidade e funcionalidade da tecnologia e, como critério de desempate, a produção científica e tecnológica.

Na abertura do evento, o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, afirmou que, este ano, os investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) irão ultrapassar R$ 1,3 bi. “A expectativa para os próximos 30 anos, com os contratos licitados até 2019, é que a média anual de investimentos em P,D&I, com esses projetos já em produção chegue a R$ 3 bilhões”, complementou.

O projeto “Produção de biodiesel avançado proveniente de microalgas nativas com captura intensiva de gás carbônico” do consultor técnico da Ubrabio Donato Aranda em colaboração com a UFRN e a Petrobras conquistou o primeiro lugar na categoria “Resultado de projeto(s) desenvolvido(s) exclusivamente por Instituição Credenciada, em colaboração com Empresa Petrolífera, na área temática geral ‘Transporte, Dutos, Refino, Abastecimento e Biocombustíveis'”.

O Prêmio ANP foi criado em 2014 e tem como objetivo reconhecer os resultados associados a projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que representem avanço tecnológica para o setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis, desenvolvidos no Brasil por instituições credenciadas, empresas brasileiras e empresas petrolíferas, com recursos da Cláusula de PD&I presente nos contratos de exploração e produção.

A relação com todos os finalistas pode ser consultada aqui

*com informações da ANP