A busca por uma matriz energética cada vez mais limpa é uma realidade global. No Brasil, a macaúba e o babaçu têm se destacado como matérias-primas que diversificam a produção de energia renovável. Nesse contexto, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA-CE), com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-CE) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), realiza, a partir de hoje (08) até o dia 10 de fevereiro, o Seminário Sobre Exploração da Macaúba e Babaçu no Nordeste Brasileiro.

O diretor da Coordenação-Geral de Agroecologia e Energias Renováveis da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Andre Luiz Lemes Martins, vai participar da abertura e explicar sobre o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB).

“Hoje o Programa é mais concentrado na soja, oleaginosa com maior representatividade na produção do biodiesel brasileiro e um dos nossos objetivos é aumentar a diversificação da produção a partir de matérias-primas como a macaúba. O extrativismo também é muito importante, pois toda matéria-prima vendida às empresas produtoras de biodiesel é contabilizada para o Selo Combustível Social”, explica.

Após a abertura, o consultor da Coordenação-Geral da Sead, Haroldo Oliveira, vai palestrar sobre a importância dos produtos para o Extrativismo do Nordeste Brasileiro, desde o plantio até a extração do óleo da amêndoa da Macaúba.

Há 537 km de Fortaleza, em Crato, o evento vai receber cerca de 20 extrativistas e representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (Ifce), Eco Brasil do Maranhão, vão participar do evento que terá seminários, visitas experimentais e cursos sobre plantio, produção de frutos, óleos e derivados, comercialização e industrialização da macaúba e do babaçu.


print