imprimir

Entre os dias 30 de abril e 16 de maio, as metas do RenovaBio (Política Nacional de Bioombustíveis) estarão sob consulta pública. Para dialogar sobre os conceitos, objetivos e ferramentas desta política, a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio) promove, no dia 7 de maio, em Brasília, o seminário Bioquerosene e RenovaBio, com a participação de especialistas envolvidos com o programa.

Marília Folegatti, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente, é uma das palestrantes e vai abordar o funcionamento da RenovaCalc, a ferramenta que contabiliza a intensidade de carbono dos biocombustíveis.

Em entrevista, ela fala sobre a proposta do RenovaBio e o processo de desenvolvimento da calculadora do RenovaBio. Para Marília, é importante estimular a ampla participação do setor produtivo na consulta pública. “Isto ajudará a garantir o sucesso da Política”, destaca.

Ubrabio – Como o RenovaBio pode estimular investimentos na cadeia produtiva de biocombustíveis?

Marília Folegatti – O RenovaBio é uma política que objetiva estimular a expansão da produção de biocombustíveis no Brasil em moldes mais sustentáveis. Ela dará acesso a uma condição diferenciada de mercado aos biocombustíveis com menor intensidade de carbono. A diferença dos índices de intensidade de carbono entre o biocombustível e o seu combustível fóssil equivalente (por exemplo, entre biodiesel e diesel de petróleo) dará acesso a créditos de descarbonização (CBios), negociados em bolsa de valores.

Ubrabio – O que se espera alcançar com esta política?

MF – O principal objetivo é promover a redução de emissões de gases de efeito estufa, por meio do estímulo ao aumento da produção e uso de biocombustíveis. Com isso contribuirá com os Compromissos Nacionalmente Determinados (NDC) assumidos pelo Brasil no Acordo de Paris.

Ubrabio – Como foi o processo de construção do RenovaCalc?

MF – Em janeiro de 2017, a Embrapa Meio Ambiente foi convidada pela Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (SPG/MME) a elaborar uma proposta para o método de cálculo da intensidade de carbono de biocombustíveis do RenovaBio e sua ferramenta de apoio (a RenovaCalcMD).

Em caráter voluntário, foi criado o Grupo de Trabalho de Avaliação do Ciclo de Vida do RenovaBio (GT-ACV), congregando importantes especialistas das áreas de conhecimento “Sistemas de Produção Agroenergéticos”, “Modelagem de Processos de Produção de Biocombustíveis”, “Geoprocessamento”, “Modelagem para Mudança de Uso da Terra” e “Avaliação de Ciclo de Vida”. Este grupo é coordenado pela Embrapa Meio Ambiente, e composto por doze pesquisadores, de quatro instituições de pesquisa: Marília I. S. Folegatti Matsuura, Gustavo Bayma S. da Silva, Marcelo A. B. Morandi, Nilza P. Ramos e Renan M. L. Novaes, da Embrapa Meio Ambiente; Joaquim E. A. Seabra, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Antonio Bonomi, Mateus F. Chagas e Otávio Cavalett, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE); Marcelo M. R. Moreira, da Agroicone; e Juliana F. Picoli e Michelle T. Scachetti, consultoras.

Durante a construção da proposta, o GT-ACV reuniu-se com frequência semanal e, quando diante de opções metodológicas críticas para os resultados, apresentou subsídios técnicos para decisão da SPG/MME.

A proposta foi debatida em diversas oportunidades, com outros órgãos de governo e com o setor produtivo. Foi um processo baseado na transparência e no amplo diálogo com os diferentes atores envolvidos direta ou indiretamente com o Programa RenovaBio.

Neste momento, a RenovaCalc e sua documentação de apoio estão em análise pela Procuradoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Após a aprovação da Agência, seguirá para consulta pública.

Ubrabio – Como essa calculadora vai funcionar?

MF – A RenovaCalcMD é a ferramenta que contabiliza a intensidade de carbono de um biocombustível (em g CO2 eq./MJ), comparando-a a do seu combustível fóssil equivalente. Atualmente, corresponde a um conjunto de planilhas na plataforma Excel®, contendo um banco de dados e uma estrutura de cálculo específica para cada tipo de biocombustível. Até junho de 2018 a RenovaCalcMD deverá ser convertida em um sistema informatizado, resultado de um trabalho conjunto entre ANP e IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia). Será acessível pelo sítio da ANP.

Serviço:

Seminário Bioquerosene e RenovaBio

Quando: 07 de maio de 2018 (segunda-feira), das 9h às 17h

Onde: Auditório do CNPq, Brasília-DF (SHIS QI 01, Conjunto B, Edifício Santos Dumont, Lago Sul Brasília/DF. Telefones: (61) 3211-9818/9244/9642)

Inscrições clique aqui

Vagas limitadas e sujeitas a confirmação.

Programação clique aqui

Organização: RBQAV, UBRABIO, UNICA e EMBRAER

Apoio: GOL, ABEAR, CNPq, EMBRAPA, MCTIC e MME