O Brasil poderá elevar suas importações de óleo diesel para 15 bilhões de litros até 2026 e para 28 bilhões de litros até 2030 caso não ocorram modificações no padrão energético do País. A previsão é da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), com base em dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Em palestra no 1º Congresso de Bioenergia de Mato Grosso, em Cuiabá, o diretor superintendente da entidade, Donizete Tokarski, defendeu maior utilização do biocombustível na matriz nacional. “O biodiesel representa hoje apenas 1,3% da matriz energética e tem potencial para avançar mais”, destacou.

Segundo ele, com 30 milhões de toneladas de soja, ou aproximadamente um terço da safra nacional, é possível fabricar 6 bilhões de litros de biodiesel, volume mais do que suficiente para atender a demanda interna, pautada hoje pelo chamado B7, mistura de 7% de diesel no diesel. Tal mistura subirá para 10% até 2019.


print