“Situação do biodiesel em Mato Grosso: matérias-primas, produção e consumo” é o tema de apresentação do diretor superintendente da Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene), Donizete Tokarski, nesta terça-feira (13) em Cuiabá-MT. A palestra vai abrir o painel “Oportunidades com o Biodiesel” no segundo dia do 1° Congresso de Bioenergia de Mato Grosso.

A bioenergia ainda é um assunto pouco explorado no Estado e o objetivo do encontro é proporcionar aos produtores rurais da região uma visão ampla das possibilidades de utilização de seus insumos para transformação em energia.

Grande produtor de soja, Mato Grosso tem potencial para abastecer o país com um combustível sustentável. No primeiro semestre de 2016, a produção mato-grossense de biodiesel ficou em 408,7 milhões de litros, o que já representa 21,9% da produção nacional.

“O biodiesel é a cara de Mato Grosso. O Estado produz 28 milhões de toneladas de soja por ano. Com isso, usando apenas metade da soja mato-grossense, poderíamos abastecer o Brasil inteiro com B10”, avalia o diretor da Ubrabio.

O consultor técnico da Ubrabio Donato Aranda também participará, com o tema: “Oportunidades com Uso Autorizativo de B20 e B30”.

Confira alguns pontos que serão abordados:

MATÉRIAS-PRIMAS

O óleo de soja é a principal matéria-prima para a produção do biodiesel brasileiro. Em junho de 2016, na região Centro-Oeste, 89,29% do biodiesel foi produzido a partir do óleo de soja. A gordura bovina foi a segunda matéria-prima (8,31%). Óleo de algodão, óleo de fritura usado, gordura de porco, gordura de frango, óleo de palma e outros materiais graxos representaram 3,39%, nessa região.

PRODUÇÃO

No ano passado Mato Grosso produziu 845.671 m³, ou 845,6 milhões de litros de biodiesel, que correspondem a 21,5% da produção nacional, que alcançou de 3,94 bilhões de litros.

CONSUMO

Em 2015, Mato Grosso consumiu 187.088m³ (4,7% do consumo nacional). Importante notar que o consumo de biodiesel está diretamente relacionado ao consumo de diesel, já que é obrigatoriamente adicionado ao combustível fóssil na proporção de 7%. No caso de Mato Grosso, na contramão do resto do país, onde o consumo de diesel vem registrando queda ao longo de 2016, por conta do desaquecimento da economia, MT registrou, ao lado de Santa Catarina, alta no consumo de diesel. Nos três primeiros meses do ano, foram quase 3% a mais sobre o mesmo período de 2015, enquanto na média nacional o consumo do combustível caiu 6%.

Serviço:

1º Congresso de Bioenergia de Mato Grosso

Quando: 12, 13 e 14 de setembro de 2016

Onde: Cenarium Rural – Cuiabá-MT

Painel “Oportunidades com o Biodiesel”

Quando: 13 de setembro de 2016, às 13h30

Mais informações: www.sistemafamato.org.br/bioenergiamt

print