Kaleb Little, gerente do Conselho Nacional do Biodiesel (NBB) nos Estados Unidos, detalha a política do país na área de combustível

A produção de biodiesel nos Estados Unidos deu um salto na última década, impulsionada por mudanças nas leis federais e também por incentivos dados por governos locais – no país a autonomia dos Estados para criação de novas normas é bem maior do que no Brasil. Não existe uma regra nacional que estipule um percentual mínimo de mistura no diesel fóssil, mas uma integração com a indústria de combustíveis permite uma ampla rede de comércio e a produção distribuída em diferentes regiões. Nesta entrevista, Kaleb Little, gerente do Conselho Nacional do Biodiesel (NBB) nos Estados Unidos, traz mais detalhes da política americana.

Na semana passada, foi sancionada no Brasil a lei que aumenta a mistura de biodiesel para 8% a partir de janeiro 2017 e que chega até 10% em 2019 – frente os atuais 7%. O projeto que previa misturas mais elevadas foi apoiado em larga escala tanto pela indústria da soja quanto a indústria de biodiesel. Existe um percentual mínimo nos Estados Unidos?

Nos Estados Unidos, a principal política federal de suporte à expansão do uso de biodiesel e de outros combustíveis renováveis chama-se Padrão de Combustível Renovável (RFS na sigla em inglês). A RFS exige que o combustível utilizado em meios de transporte vendidos no país contenha um volume mínimo de combustíveis renováveis. A RFS surgiu ainda em 2005, a partir da Lei de Energia e foi ampliado e prorrogado pela Lei de Independência e Segurança Energética (EISA, em inglês), de 2007. Esta política garante que, entre toda a fabricação de combustível, haja uma produção mínima de biodiesel. Isso dá flexibilidade às empresas para escolher qual mistura e combustíveis alternativos serão utilizados.

Que tipos de políticas de governo são mais relevantes para dar suporte à indústria do biodiesel?

Em nível federal, o Padrão de Combustível Renovável (RFS) é a maior política de apoio ao desenvolvimento de biodiesel e outros biocombustíveis nos Estados Unidos. Há também uma série de políticas regionais e estaduais destinadas a impulsionar mais combustíveis de baixo carbono para o mercado que teve um grande impacto sobre a indústria de biodiesel no país.

Quais as principais vantagens do uso do biodiesel?

Biodiesel é um substituto renovável para o combustível fóssil e ainda reduz a dependência americana do petróleo, cria postos de trabalho e melhora o ambiente. Nos Estados Unidos, produzimos biodiesel a partir de uma grande variedade de matérias-primas. Isso inclui o óleo de cozinha reciclado, soja e gordura animal – os únicos aprovados pela Agência americana de Proteção Ambiental (EPA) e produzido em escala comercial em todo país.

Qual seria a percentagem adequada?

Nos Estados Unidos, o biodiesel é utilizado em misturas que vão de 2% a até 100%, dependendo da aplicação e do consumidor. O biodiesel tem suporte da cadeia de diesel, seu emprego é favorecido em função da infraestrutura existente. É usado em caminhonetes, tratores, varredores de rua, transporte escolar, veículos limpa-neves e até em barcos e sistemas de aquecimento doméstico. O uso de biodiesel é tão diverso quanto o próprio motor a diesel.

 

Quantas indústrias de biodiesel estão instaladas hoje nos Estados Unidos? Quanto é a produção de biodiesel por ano?

Atualmente, há cerca de 200 usinas de biodiesel em todo o país – instaladas do Estado de Washington até Iowa e Carolina do Norte, com capacidade registrada para produzir cerca de 3 bilhões de galões de combustível. A indústria gera mais de 62 mil empregos de energia verde em uma variedade de setores, desde a produção até o transporte, agricultura e serviços. O impacto econômico da indústria pode crescer ainda mais com a continuação de aumentos de produção. Em 2015, o mercado de biodiesel dos EUA foi de quase 2,1 bilhões de litros.

A indústria de biodiesel brasileira afirma que tem capacidade de abastecimento no longo prazo mesmo com percentual de mistura superior a 10%. No Brasil, o óleo de soja é nossa principal matéria-prima, responsável por mais da metade do biodiesel produzido. Quão crucial é diversificar nossa fonte de abastecimento?

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, há uma abundância de soja cultivada. A soja, por natureza, é de aproximadamente 80% proteína animal e 20% óleo. Como a soja é cultivada para alimentar o gado e as pessoas, é natural que haja uma abundância de gorduras produzidas com a porção de óleo. A indústria de biodiesel proporciona uma saída para a dependência exclusiva do petróleo e fornece receitas adicionais para apoiar a produção alimentar dos agricultores de soja. Nos Estados Unidos, cerca de metade da produção de biodiesel vem do óleo de soja e a outra metade trata de todas as outras matérias-primas. A flexibilidade adicional a partir do uso de várias fontes permite aos produtores utilizarem todas as gorduras e óleos disponíveis, dependendo da dinâmica do mercado.

Que outras fontes são utilizadas em escala nos Estados Unidos?

O biodiesel é produzido de costa a costa do país, em quase todos os estados com diversidade regional de matérias-primas. É feito de subprodutos e coprodutos disponíveis localmente – óleo de soja no cinturão de grãos, óleo de cozinha reciclado em áreas urbanas e gorduras animais provenientes no sudoeste.

Alguns especialistas culpam o biodiesel pelos problemas que os proprietários de carros tiveram nos últimos anos. Pode o diesel feito a partir de uma mistura de biodiesel ser responsabilizado pela perda de potência dos motores?

As misturas de biodiesel são apoiadas por todos os principais fabricantes de motores nos Estados Unidos. Três grandes montadoras de Detroit – Ford, General Motors e Fiat Chrysler – têm apoiado a mistura de biodiesel por quase uma década. A qualidade do produto no mercado é bastante alta e o combustível está sendo usado, seguramente, em todas as regiões e em todos os climas sem problemas.


print