Pesquisas e as ações institucionais desenvolvidas na Embrapa Agroenergia foram apresentadas a alunos de diferentes cursos da Universidade de Brasília (UnB). A instituição recebe alunos dos mais diversos níveis, desde o fundamental até pós-graduação no intuito de capacitar e informar sobre a importância da pesquisa e como os resultados obtidos podem influenciar na qualidade de vida da sociedade.

Dessa vez, quem fez as honras da casa foi a pesquisadora Silvia Belém, e o engenheiro de bioprocesso que trabalha na Planta-piloto, Felipe Brandão. A ação de divulgação da Unidade é direcionada para alunos, principalmente aqueles que estão ligados às pesquisas voltadas para a área da agricultura. Durante o encontro, os alunos foram orientados sobre as perspectivas do mercado de trabalho e sobre as opções de estágio na área, principalmente na Embrapa.

Nesta linha, Silvia Belém reforçou aos alunos que visitaram o Centro Pesquisa, no dia 26/10, sobre a disciplina de Biocombustíveis ministrada pela professora Juscéia Camillo da UnB. “Nas nossas palestras, por trabalharmos com agroenergia, exploramos a necessidade de pesquisarmos energias provenientes de fontes renováveis, em especial de biomassa”, enfatizou Sílvia.

“Foi interessante ver o entusiasmo dos alunos com a unidade piloto de produção de biodiesel, e pela unidade de explosão a vapor, equipamento instalado na Embrapa Agroenergia que faz a desconstrução da biomassa. Esta infraestrutura é um pouco diferenciada das outras unidades da Embrapa, pois os trabalhos da Unidade são mais voltados para a área de processos enquanto as demais unidades descentralizadas da Embrapa trabalham principalmente com agricultura e pecuária”, conta Felipe.

Curso de Engenharia de Energia

A Embrapa Agroenergia esteve presente na Semana Matriz (21/10), semana dedicada aos alunos do curso de Engenharia de Energia da Universidade de Brasília – UnB, no Campus do Gama.

De acordo com Diego Duarte, diretor-presidente da empresa júnior Matriz que promoveu o evento, a proposta do encontro foi apresentar aspectos da qualificação técnica e de gestão para os estudantes presentes. Além disso, o evento focou as perspectivas do setor de energia, bem como possibilidades de atuação em diferentes frentes do mercado de trabalho.

“A Embrapa já tem uma aproximação forte com a UnB, por isso, convidamos a Agroenergia que está diretamente relacionada com a Engenharia de Energia para mostrar aos estudantes este mercado. Organizamos essa semana com objetivo de apresentar os diversos campos de atuação para os alunos do curso”, disse Duarte.

No evento, a pesquisadora da Embrapa, Itânia Soares que é formada em Química, com mestrado em Ciências, doutorado e pós-doutorado em Química (biocombustíveis), contou sua história acadêmica até sua iniciação na Empresa, onde trabalha com processos de produção de biodiesel e com o desenvolvimento de metodologias para determinação da qualidade de biocombustíveis.

Atualmente, a Embrapa Agroenergia conta com 30 pesquisadores e 23 analistas que atuam nas áreas de agronomia, engenharia química, química, farmácia, engenharia de bioprocessos, biologia e engenharia de alimentos. Estes funcionários orientam bolsistas de diversas universidades brasileiras e de outros países em diferentes temas da Agroenergia.

Segundo a pesquisadora, a intenção foi mostrar o papel da Embrapa. Como ela está estruturada no Brasil e como atua no exterior, em especial a unidade de Agroenergia. Itânia ressaltou também a importância da pesquisa para o País, bem como o retorno que a Empresa traz para a sociedade brasileira.

De acordo com informações divulgadas no Balanço Social de 2014, a cada R$ 1,00 investido na Embrapa, a Empresa retorna para o país R$ 8,53 na forma de tecnologias, conhecimento e emprego. Essas informações são divulgadas anualmente no balanço social.

Ainda durante o evento, a pesquisadora também falou um pouco da estrutura da Embrapa Agroenergia. “Desenvolvemos pesquisas em quatro laboratórios, uma planta piloto e um Núcleo de Apoio a Culturas Energéticas”. Ela explicou detalhadamente a função dos Laboratórios de Genética e Biotecnologia, de Processos Bioquímicos, de Processos Químicos, de Química de biomassa e da Planta-Piloto.

Ela mostrou ainda, quais as linhas de atuação em cada um destes laboratório e como acontece o ingresso de estudantes e bolsistas na Embrapa. Segundo ela, os interessados devem identificar qual a linha de interesse, procurar a Unidade, por meio do SAC ou diretamente com o pesquisador responsável pelo projeto.

Saiba mais como fazer estágio na Embrapa Agroenergia no link: https://www.embrapa.br/agroenergia/estagios-e-bolsas.

As escolas e as instituições que tiverem interesse em visitar a Embrapa Agroenergia, podem entrar em contato com o Núcleo de Comunicação Organizacional pelo e-mail agroenergia.eventos@embrapa.br

Mais informações a respeito da atuação da Unidade no site www.embrapa.br/agroenergia e no folder institucional http://issuu.com/embrapa/docs/folder__institucional_2013web


print