O projeto desenvolvido no Instituto de Tecnologia e Pesquisa

O girassol é uma planta cujo caule pode atingir três metros de altura e tem diversas utilidades podendo ser utilizado para produção de óleo de cozinha, biodiesel ou para alimentação de pássaros. A doutora em Bioquímica, Alini Tinoco Fricrs, está realizando estudos para uso do girassol como matéria-prima para produção de biodiesel.

O projeto desenvolvido no Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP) integra o Programa Primeiros Projetos (PPP) desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE). O objetivo do programa é apoiar a instalação, modernização e ampliação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições de ensino e pesquisa, públicas ou privadas,  visando dar suporte à fixação de jovens pesquisadores em Sergipe.

A doutora em Bioquímica, Alini Tinoco, explica que o projeto teve início em 2011 com estudos em torno do girassol, já que Sergipe tem uma vocação para o cultivo desta planta. “O projeto gira em torno da produção de biodiesel utilizando óleo de girassol. A motivação para a utilização dessa matéria-prima é que o estado de Sergipe apresenta uma vocação no cultivo de girassol. Um projeto que propõe um desenvolvimento estratégico do nosso estado”.

Segundo Alini, a ideia inicial era produzir o biodiesel utilizando meios alternativos, que no caso, foi utilizado o micro-ondas. Segundo a doutora em Bioquímica, os resultados alcançados são promissores para o estado trazendo um grande impacto em termos energéticos para indústria e o setor produtivo.

“A nossa ideia era fazer um biodiesel utilizando girassol e com rota alternativa utilizando biocatalizadores e utilizando meios alternativos que no caso foi o micro-ondas utilizando a radiação. A gente conseguiu no projeto a síntese de um B100, que um termo usado quando conseguimos converter 100% da matéria-prima ao produto de biodiesel, então foi um resultado promissor com curto tempo de apenas duas horas e condições de reações bem brandas. O principal resultado foi alcançar o biodiesel 100% em um processo ecologicamente correto.

Alini ainda acrescenta que o projeto é de grande importância para o desenvolvimento econômico do estado e a expectativa é que o produto possa chegar ao mercado sergipano. “O projeto tem um papel muito importante para o desenvolvimento de Sergipe e para a população, principalmente, nas lavouras para quem trabalha as culturas do girassol. Um propulsor para poder desenvolver e estimular o cultivo dessa lavoura aqui em Sergipe”.


print