A flor de girassol é muito procurada para ornamentação de ambientes, principalmente por sua beleza e exuberância, como também pelo seu lado místico, acredita-se que traz sorte e boas vibrações ao ambiente, sendo uma flor muito usada no Feng Shui, pois possui característica do sol. Atualmente, a oleaginosa tem valor econômico muito maior, em função da utilização da mesma, como agregador de valores, através da produção de óleo de cozinha, alimentação de pássaros e atualmente utilizada na produção do biodiesel, uma matriz energética extremamente viável.

A oleaginosa em questão é uma dicotiledônea (contém dois ou mais cotilédones), anual da família Compositae, originária do continente Norte Americano, inicialmente utilizado como fonte de alimento pelos índios. Foi levada para a Europa no século XVI como planta ornamental.

A mesma atualmente encontra-se entre as cinco maiores culturas oleaginosas produtoras de óleo vegetal comestível do mundo, ficando apenas atrás da soja e do amendoim.

Agora, do ponto de vista da utilização da oleaginosa, como matriz energética; é importante salientar que, estudos apontam vantagens do girassol em relação a outras oleaginosas, que vêm sendo utilizado para produção do biodiesel, haja vista que: quanto ao teor de óleo nos grãos; no girassol, esse teor varia em torno de 40%, enquanto em outras oleaginosas que vêm sendo utilizado para a produção do biodiesel, esse percentual fica em torno de 20%, como é o caso da soja por exemplo.

Outros fatores determinantes para um maior aproveitamento, do girassol como matriz energética; é que o mesmo é um combustível renovável, pois é produzido a partir de fontes vegetais, que depois será misturado com etanol (proveniente da cana de açúcar), se tornando um combustível totalmente limpo, orgânico e renovável o que é mais importante.

As regiões brasileiras com melhor possibilidade de sucesso no plantio dessa oleaginosa são: os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catariana, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Bahia, Maranhão e Piauí.

Obviamente, a maior ou menor produtividade da mesma, dependerá da condicionante climática, além das técnicas a ser utilizadas, tanto no plantio como na colheita, as mesmas, poderão torná-las rentáveis ou não.

O Estado de Mato Grosso, no tocante ao plantio e colheita dessa oleaginosa, ainda está em faze embrionária, principalmente em se tratando da utilização dos nossos solos, para o plantio da mesma. Este biodiesel, além de não ser poluente, tem um grande valor de mercado.

Principais vantagens na utilização do mesmo como matriz energética: a queima do biodiesel gera baixos índices de poluição, não colaborando para o aquecimento global, gera emprego e renda no campo, diminuindo o êxodo-rural, deixam as economias dos países menos dependentes dos produtos derivados do petróleo. Produzido em larga escala e com uso de tecnologias, o custo de produção, será sem dúvida alguma bem menor que os derivados do petróleo.


print