Trocar experiências sobre cultivo e promover a integração entre os produtores rurais e representantes do projeto Biopalma foram os objetivos do II Seminário de Agricultura Familiar que ocorreu nesta terça-feira, 6, em Concórdia do Pará. O evento reuniu famílias de pequenos agricultores que vivem na região do Vale do Acará. O encontro anual é uma das ações do Programa de Agricultura Familiar lançado pela Biopalma em fevereiro de 2010, com a finalidade de expandir seu negócio nos próximos anos contribuindo para a geração de riqueza na Amazônia e a construção de matriz energética cada vez mais limpa.

O programa, que tem como meta envolver duas mil famílias com o plantio de dendê até 2013, atualmente já beneficia 124 famílias de agricultores que são financiadas com linhas de crédito do Pronaf Dendê – um programa de financiamento do Governo Federal, através do Banco da Amazônia, para a aquisição de mudas, manutenção da plantação e necessidades de subsistência nos três primeiros anos do plantio até o início da colheita. O benefício oferece aos pequenos agricultores prazo de 14 anos, com seis anos de carência e oito anos para pagamento, com taxa de juros subsidiada de 2% ao ano.

Os agricultores interessados disponibilizam 10 hectares, em sua propriedade familiar, para o plantio de dendê e recebem da Biopalma assistência técnica gratuita e garantia de compra da matéria-prima durante os próximos 30 anos de produção. Paralelamente, para fortalecer a agricultura familiar junto aos produtores atendidos pelo programa, “nós fazemos o acompanhamento e fornecemos o suporte técnico necessário para o desenvolvimento da produção agrícola pelas famílias, uma vez que elas também cultivam outras culturas na mesma propriedade de cultivo do dendê, como fruticultura, avicultura, entre outras”, explica o diretor de Sustentabilidade da Biopalma, João Menezes.

Sobre a Biopalma
Desde fevereiro deste ano, a Vale detém 70% da Biopalma da Amazônia S.A. Reflorestamento Indústria e Comércio, empresa produtora de óleo de palma, matéria-prima para a produção de biodiesel. A empresa produzirá óleo de palma em 2012, com a expectativa de atingir a produção anual de 500 mil toneladas até 2019.

A destinação principal do óleo será a produção de biodiesel pela Vale para alimentar sua frota de locomotivas, máquinas e os equipamentos de grande porte das operações no Brasil, usando o B20 (mistura de 20% de biodiesel e 80% de diesel comum).

A empresa já fez o plantio em 36 mil hectares de áreas próprias nos municípios de Moju, Tomé Açu, Concórdia do Pará, Abaetetuba, Bujaru, Igarapé Miri, São Domingos do Capim e Acará. Todas as áreas utilizadas no cultivo do dendê são áreas mapeadas e demarcadas pelo Governo Federal como áreas fortemente alteradas. Hoje a Biopalma gera cerca de 3.600 postos de trabalho, entre próprios e terceiros, mas com a evolução do negócio novos empregos serão criados.
print