O diretor de Biodiesel da Petrobras Biocombustível, Alberto Fontes, destacou as tendências para o desenvolvimento do setor e traçou um panorama com a atual situação do país na área de biocombustíveis, nesta quarta-feira (26/10), em palestra que integrou a programação do 21º Congresso Internacional de Engenharia Mecânica, em Natal (RN). A Petrobras prevê investimentos de US$ 2,5 bilhões na produção de biodiesel e etanol até 2015.

Em sua palestra, o diretor ressaltou a qualidade da matriz energética brasileira, fundamentada em energias limpas. No biodiesel, o país possui hoje 60 unidades que produzem aproximadamente 2,35 bilhões de litros por ano. “A expectativa é que até o final de 2011 sejam consumidos mais de 2,5 bilhões de litros somente no Brasil, colocando o país como líder mundial no consumo do biodiesel”, informou Fontes.

No segmento de etanol, o país conta com 423 usinas e uma produção de cerca de 27 bilhões de litros por ano. “O Brasil tem uma grande vocação para a produção de biocombustíveis e energias renováveis como um todo em razão das suas condições ambientais privilegiadas”, comentou.

Fontes disse ainda que uma tendência nesta área são os investimentos para o desenvolvimento de tecnologias que buscam a consolidação de rotas de segunda geração com foco na produção de biocombustíveis a partir de resíduos como o bagaço de cana.

A previsão é de investimentos da ordem de US$ 2,5 bilhões na produção de biodiesel e etanol entre 2011 e 2015 dentro no Plano de Negócios da Petrobras, que também prevê US$ 300 milhões para a pesquisa e desenvolvimento no setor.

O 21º Congresso Internacional de Engenharia Mecânica, que reúne pesquisadores e estudantes da área de Engenharia, ocorre até a próxima sexta-feira (28/11) no Centro de Convenções em Natal.

print