imprimir

A situação que estava impedindo o fim do 22º Leilão de Biodiesel foi resolvida pelo pregoeiro e após 14 dias – o pregão foi iniciado em 24 de maio – o setor poderá conhecer oficialmente os vencedores do maior leilão de biodiesel realizado até agora.

Conforme BiodieselBR havia antecipado, o atraso aconteceu porque a ANP estava tentando decidir que o fazer com o item 86 do leilão – correspondente a 7,5 milhões de litros de biodiesel – que ficaria órfão por causa da desqualificação da Comanche.

Segundo o pregoeiro da ANP, Rafael de Carvalho Lins, divulgou há pouco pela plataforma Comprasnet, a usina perdeu o item por “encontrar-se em situação irregular no momento da habilitação” aparentemente por estar com “alguns documentos vencidos”. Por esse descuido, ela deixa de faturar quase R$ 16,9 milhões entre os meses de julho e setembro.

Segundo o pregoeiro adiantou com exclusividade para BiodieselBR, o atraso teve origem na demora de uma consulta à Procuradoria Federal da ANP. A agência buscava uma saída para evitar a mudança significativa do resultado do leilão com a recolocação do item perdido pela Comanche. A esperança da agência era cancelar o item problemático. Contudo, o parecer jurídico foi de que o item 86 não poderá ser cancelado e terá que ser integralmente repassado para a segunda colocada: a BSBios de Passo Fundo.

O problema com isso é que esse volume adicional a BSBios estoura o limite de 80% da capacidade autorizada trimestral que a usina pode vender em cada leilão da ANP. Isso obrigou a ANP a mover os itens 151, 154, 183 e 63 que haviam sido originalmente arrematados pela BSBios para as segunda colocadas.

Resolvida essa questão, espera-se que até o final do dia tenhamos o resultado definitivo do leilão.

BiodieselBR