imprimir

06/08/2019 – A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) anunciou nesta tarde a entrada do B11 no 68° Leilão de Biodiesel, realizado na próxima semana (12/08) para comercialização dos volumes de biocombustível para abastecimento do mercado nacional em setembro e outubro. Isto significa que, a partir de 1° de setembro, todo o diesel vendido nos postos brasileiros terá 11% de biodiesel – um combustível renovável produzido a partir de óleos vegetais ou resíduos como sebo bovino, gordura de aves, peixes e porcos e óleo de cozinha usado.

Ontem, o Ministério de Minas e Energia publicou o documento que faltava para tornar o B11 realidade no País, com conclusões positivas do maior programa de testes em motores para uso de biodiesel em teores até 15%. Veja aqui

A expectativa do setor é que, com a elevação da mistura obrigatória – atualmente em 10% –, a produção brasileira de biodiesel alcance o recorde de 6 bilhões de litros em 2019, agregando valor às matérias-primas nacionais e reduzindo a necessidade de importação de diesel fóssil.

A Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene), entidade representativa de todo o setor de biodiesel, com 26 empresas associadas (produtores, consumidores, tecnologia e insumos, entre outras) destaca a relevância da medida para a economia, geração de empregos e renda, aliada à melhoria da qualidade do combustível e do ar que todos nós respiramos.

Também agradece o indispensável apoio da equipe do Ministério de Minas e Energia e da ANP, além da confiança dos associados, para a consolidação do avanço da mistura obrigatória rumo ao B15, fruto da Lei 13.263/2016 de autoria do Senador Donizeti Nogueira.

Previsto por lei, cronograma de avanço da mistura obrigatória de biodiesel no Brasil foi estabelecido em outubro do ano passado pela Resolução CNPE n° 16/2018.

Leia também:  B11 nos postos brasileiros em setembro