imprimir

Londres se tornara a primeira cidade do mundo a implementar uma zona onde será permanentemente proibido a circulação de carros com altas emissões de carbono. Anunciada nesta segunda-feira pelo prefeito Sadiq Khan, a Ultra Low Emission Zone (ULEZ) só irá permitir a circulação de carros que atinjam o padrão de emissão de gases de efeito estufa. A primeira parte da zona começou a valer no dia do anúncio enquanto a segundo – mais expandida – está planejada para ser implementada no dia 25 de outubro de 2021.

O objetivo da nova medida é diminuir a emissão de poluentes no ar do centro de Londres, uma decisão vista como de saúde pública. “Veículos são responsáveis por metade das emissões de óxido de nitrogênio no Reino Unido, contribuindo para a crise de ar tóxico que aumento o risco de asma, câncer e demência, além de causar milhares de mortes prematuras por ano”, explica o comunicado oficial da nova medida.

A primeira área de ULEZ será a mesma onde atualmente funciona o pedágio urbano de Londres, e será cobrada uma taxa diária de £12.50 (cerca de US$16) para carros, vans e motos que queiram transitar pelo local, e £100 (US$130) para caminhões. Até 2021, a área será expandida até os limites do Rodoanel norte e sul de Londres. A prefeitura da cidade irá disponibilizar uma lista de veículos liberados a rodar no local que tem baixa emissão de poluentes.

A área livre de emissões de carbono faz parte de um extenso plano da capital inglesa de limpar seus ares. A primeira medida foi o pedágio urbano de 2017, que diminuiu em 11 mil o número de carros que circulam pela região. Quem também está sofrendo mudanças são os clássicos ônibus vermelhos da cidade, cuja frota de 9.200 veículos atenderá os objetivos do plano até outubro de 2020. Atualmente 2 milhões de londrinos vivem em áreas onde a qualidade do ar está abaixo dos limites legais definidos pela União Europeia.

Fonte: Istoé Dinheiro