imprimir

A ANP e a Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ) assinaram, nesta sexta-feira (24/8), no Centro de Pesquisas e Análises Tecnológicas da ANP (CPT), em Brasília, memorando de entendimentos para projeto de geração de querosene de aviação alternativo, obtido a partir de tecnologia alemã e suíça que utiliza fontes renováveis de CO2 e H2O, capturadas na atmosfera, e energia fotovoltaica (gerada a partir da energia solar).

O querosene paranífico sintetizado por Fischer-Tropsch (SPK-FT) será produzido na planta piloto a ser instalada no CPT. Pela legislação atual, esse tipo de combustível pode ser misturado até o limite máximo de 50% em volume ao querosene de aviação (QAV-1) para o consumo em turbinas de aeronaves.

No âmbito do projeto, o CPT ficará responsável por certificar o SPK-FT produzindo na planta piloto e em outras plantas demonstrativas que serão instaladas no país.

Entre os pontos positivos do acordo, encontram-se:
– Insere-se na política nacional de expansão da produção e uso de combustíveis ecologicamente sustentáveis;
– Pode, no futuro, atender o suprimento de aeroportos remotos, eliminando gastos logísticos;
– Contribui para a redução da carga de cerca de 20 milhões de tonelada/ano de CO2 que o tráfego aéreo brasileiro despeja na atmosfera.

Fonte: ANP