imprimir

A Bolsa de Comércio de Rosario (BCR) propôs aumentar o uso de biodiesel no diesel argentino. Atualmente, a porcentageme stá em 10%, mas o plano da BCR é elevar essa porcentagem para 15% e, posteriormente, 20%. Com este nível, “as fábricas conservariam seu nível de produção e postos de emprego”.

As argumentações são baseadas no aumento do atual ritmo de produção e na conservação dos quase 2 mil postos de trabalho que gera essa indústria, tendo em conta o recente fechamento do mercado norte-americano (para onde era destinada a maior parte das exportações) e uma possível decisão similar por parte do europeu (para onde estão destinadas a maior quantidade de biocombustível).

A BCR expôs que a decente decisão governamental de aumentar a taxa dos direitos de exportação (de 8% para 15%) fez com que o produtor perdesse não apenas dinheiro, mas também interesse. A possibilidade de abastecer o mercado interno, assim, poderia trazer novos horizontes comerciais.

A indústria do biodiesel, atualmente, possui uma capacidade ociosa por volta de 50%, o que a entidade classificou como um “nível altíssimo”. No ano passado, a capacidade de ocupação fabril foi de 65%.

O Governo argentino ainda deve avaliar a proposta.

Fonte: Notícias Agrícolas