imprimir

A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta quarta-feira (23) a lei que aumenta a mistura de biodiesel no óleo diesel de 7% para 8%. “Todos nós ganhamos com isso: a agricultura familiar, a agricultura comercial, as usinas produtoras de biodiesel, o consumidor no Brasil e o meio ambiente. Ao ganhar o meio ambiente, ganha toda população brasileira. E espero que nessa flexibilidade de combinação, nós tenhamos também preços mais baratos para o combustível”, disse a presidenta.

Desde 2008, a utilização do combustível renovável é obrigatória no Brasil e vem crescendo ao longo dos anos. Com a mudança na legislação, a cota obrigatória do biodiesel será alterada em um ponto percentual para os próximos 12 meses, a contar de hoje.

De acordo com o projeto aprovado no Congresso Nacional, a quantidade do biodiesel na produção do diesel vai ser ampliada para 10% no prazo de três anos, ou seja, até março de 2019. Segundo o cronograma, a partir do ano que vem até 2018, o percentual deverá ser de 9%.

Para a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), o aumento da mistura traz efeitos econômicos, sociais e ambientais, como uma menor importação de diesel fóssil, a redução das emissões de poluentes cancerígenos presentes no diesel e a queda nas emissões de gases de efeito estufa e gás carbônico.

“Nós temos um combustível socialmente adequado, porque está envolvido com a agricultura familiar, ambientalmente correto, porque reduz as emissões de gás de efeito estufa, e economicamente viável, porque, além de reduzir importação de diesel, aumenta a renda nacional, gerando emprego no interior do Brasil”, defendeu Donizete Tokarski, diretor-superintendente da Ubrabio.

Da esquerda para a direita, Paulo Mendes, vice-presidente de Relações Associativas e Institucionais da Ubrabio; Irineu Boff, vice-presidente de Assuntos Tributários da Ubrabio; Dilma Rousseff, presidente da República; senador Donizeti Nogueira (PT-TO), secretário-geral da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel; Pedro Granja, vice-presidente Administrativo da Ubrabio e presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel


Representantes da Ubrabio prestigiam os atores do governo envolvidos com o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel desde o início.