A Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene) participou, na tarde de ontem (5), da primeira reunião da Câmara Técnica de Avaliação e Acompanhamento do Selo Combustível Social, coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O encontro aconteceu na sede da Embrapa, em Brasília-DF, e teve como pauta a discussão da agenda de trabalho para 2015.

O diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, destacou que um grande ganho do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – PNPB é a participação da agricultura familiar, proporcionada pelo Selo Combustível Social e pontuou ações para ampliar a representatividade desses agricultores no Programa.

“O Selo Combustível Social movimentou R$ 3,2 bilhões, aproximadamente, em aquisições da agricultura familiar. Esse é um resultado histórico da condução do PNPB que mostra o potencial do programa e importância de previsibilidade para o setor”, destacou.

Para demonstrar a importância do alcance social e a adoção das empresas ao programa, a Ubrabio propõe que 95% das compras de biodiesel sejam de empresas detentoras do Selo Combustível Social, ao invés dos 80% estabelecido atualmente. A entidade também solicitou a uniformização do tratamento da região Norte à região Nordeste, uma vez que o objetivo inicial do PNPB tinha essas regiões como prioritárias, além de índices diferenciados às empresas que adquirem e industrializam as matérias-primas da agricultura familiar na região Sul.

Proposta pela Ubrabio, a Câmara Técnica de Avaliação e Acompanhamento do Selo Combustível Social foi criada para monitorar a participação da agricultura familiar no PNPB e promover o diálogo para aperfeiçoamento de suas regras.

O fórum permanente é coordenado pelo MDA e composto por representantes da Ubrabio, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), Associação Nacional dos Pequenos Agricultores (ANPA), União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), e associações de produtores de biodiesel.

Participaram da reunião representando a Ubrabio Osvaldo Morichita, membro titular da Câmara e representante da associada Granol, Gildo Barnes (Oleoplan e Sindibio-RS), o diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, e o diretor executivo da Ubrabio, Sergio Beltrão.

MDA no Seminário B20 Metropolitano

Na ocasião, a Ubrabio convidou o MDA e as entidades presentes para o Seminário B20 Metropolitano – Mobilidade Sustentável para as Cidades Brasileiras, evento que vai debater, em Brasília, o uso de 20% de biodiesel no diesel fóssil (B20) utilizado para abastecer o transporte público das 40 maiores cidades do Brasil. O Seminário acontece no dia 21 de maio e vai reunir prefeitos, empresários, imprensa e gestores e especialistas relacionados às áreas de saúde, transporte, mobilidade e meio ambiente.

“Queremos uma ampla participação de todos os segmentos da sociedade nessa discussão, especialmente dos gestores públicos das grandes cidades, para discutir os usos superiores ao da mistura obrigatória”, ressaltou Tokarski.

Leia também
Ubrabio integra fórum permanente que acompanha o Selo Combustível Social


 


print