Na manhã desta terça-feira (27) aconteceu na Câmara dos Deputados o seminário “BIODIESEL: Produzindo Energia e Limpando o Meio Ambiente”. O evento foi proposto pelo deputado Márcio Macêdo (PT/SE), presidente da Subcomissão de Biocombustíveis no âmbito da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Casa, e realizado em parceria com a Embrapa Agroenergia e Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene).

Na abertura, o deputado falou da expectativa de que o seminário contribuísse com o debate para estimular uma rápida solução para a questão do aumento da mistura obrigatória. “Eu tenho certeza de que o país irá dar esse passo, porque é ambientalmente correto. E nesse ano de Copa do Mundo podemos dar o recado ao mundo de que o Brasil está buscando consolidar a utilização de energias renováveis e de biocombustíveis”, afirmou Márcio Macêdo.

O seminário teve transmissão ao vivo pelo site da TV Câmara e o primeiro painel, sob o tema: “O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) e suas perspectivas”, contou com a apresentação do presidente do Conselho Superior da Ubrabio, Juan Diego Ferrés, que explanou sobre o atual cenário do setor e destacou que o Programa, no âmbito dos biocombustíveis brasileiros, alcançou sucesso reconhecido nacional e internacionalmente, principalmente por integrar com eficiência e viabilidade políticas socioeconômicas e ambientais. Ferrés explicou sobre a capacidade instalada da indústria, as etapas da cadeia produtiva do biodiesel e sua importância para os diversos setores, com geração de empregos e aumento no PIB brasileiro.

O Chefe-Geral da Embrapa Agroenergia, Manoel Teixeira, apresentou as unidades de pesquisa da Empresa e destacou o sistema Agropensa, que tem como objetivo produzir e divulgar conhecimentos em apoio à formulação de pesquisas em desenvolvimento e inovação no agronegócio. “O Brasil vive hoje um bom dilema em relação à construção de uma política de Estado para o setor energético em um cenário de fartura de oportunidades”, disse.

O foco da Embrapa Agroenergia é a biomassa e, de acordo com o palestrante, o Brasil tem capacidade para se tornar um protagonista nessa produção. “… Mas para isso o país precisa considerar e incorporar no seu mercado a sustentabilidade ambiental e social e não somente a variável econômica”, declarou Manoel.

Reciclar para gerar energia

No segundo painel – Sebo Bovino e Óleo Reciclável: Uso e Tecnologia – o presidente da Ubrabio, Odacir Klein, falou sobre a representatividade do sebo como matéria-prima para a produção de biodiesel, que chega a 20%, atrás apenas do óleo de soja, com 74%. “Atualmente, 500 mil toneladas de sebo bovino deixam de poluir o meio ambiente para gerar energia limpa e renovável”, destacou Odacir.

Até 2012, o óleo de fritura ainda não possuía uma representatividade isolada na cadeia produtiva do biodiesel e integrava a fatia de 4% da produção, representada juntamente com gordura de porco e frango, ácido graxo de óleo de soja, e espécies vegetais como a macaúba, a canola, a palma e o nabo-forrageiro. Em 2013, o óleo reciclável passou a responder por 1% da produção do biodiesel nacional.

“Hoje, o Brasil utiliza cerca de 30 milhões de litros de óleo de fritura para produzir biodiesel. Esperamos que em breve, com a aprovação do novo Marco Regulatório, ocorra o aumento da mistura obrigatória. Tão logo isso aconteça, o óleo recolhido será uma importante contribuição para garantir a produção de biodiesel a partir da diversificação de matérias-primas”, afirmou o presidente da Ubrabio.

O presidente apontou a sustentabilidade do uso do biocombustível e apresentou dados sobre a emissão de gases causadores do efeito estufa. “A cada 1% de biodiesel adicionado ao diesel fóssil há uma redução de 0,7% na emissão desses gases”, afirmou Klein ao falar sobre o “Relatório de Benefícios Ambientais da Produção e do Uso do Biodiesel”, documento técnico elaborado pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel, da qual também é presidente, no âmbito do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O último palestrante do dia foi o Pesquisador da Área de Plantas Piloto da Embrapa Agroenergia, Rossano Gambetta. Ele apresentou o projeto da usina de biodiesel em Brasília, que irá transformar óleo de fritura usado no biocombustível. De acordo com o pesquisador, a usina terá a capacidade de produzir mil litros de biodiesel por dia. “Existem desafios a serem superados. É fundamental a conscientização da população para recolher o óleo de fritura usado e com isso aumentar a coleta”, concluiu.

Confira as Fotos do Seminário

 


print