imprimir

O uso da mistura de 20% de biodiesel garante a ecoeficiência do transporte urbano e não prejudica o desempenho dos veículos

Em matéria publicada no último sábado (12) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o uso do B20 (mistura de 20% de biodiesel adicionado ao diesel fóssil) foi alvo de dúvidas quanto ao desempenho e qualidade técnica. De acordo com a publicação, engenheiros da São Paulo Transporte (SPTrans) não estariam seguros quanto à viabilidade técnica e financeira da utilização do biocombustível e, por isso, paralisaram o programa Ecofrota, realizado pela Prefeitura do estado em parceria com a Viação Itaim Paulista (VIP) e a B100 Energy, empresa associada à Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene).

O gestor do Projeto B20 na empresa VIP, Paulo Mendes, garante que o exemplo citado na matéria nunca foi identificado na frota que administra. “Já rodamos mais de 900 milhões de km com a mistura B20 e não observamos até o momento qualquer tipo de anomalia como a corrosão citada na reportagem.” O Programa Ecofrota é pioneiro na utilização do B20 em larga escala e, a partir dele, 2 mil veículos de transporte urbano da VIP circulam em São Paulo abastecidos com a mistura autorizativa de 20% de biodiesel ao diesel fóssil. “A Ecofrota transporta de forma ecológica e eficiente mais de 2 milhões de passageiros por dia na maior cidade do país”, declara Paulo Mendes.

Testes e resultados

A Ubrabio afirma que o Programa Ecofrota é uma opção segura da Prefeitura de São Paulo e das empresas envolvidas no objetivo de oferecer mais saúde e qualidade de vida à população, sem afetar o desempenho dos veículos de transporte urbano.

No relatório “Biodiesel B20 – O Rio de Janeiro anda na frente” (2011), divulgado pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (FETRANSPOR-RJ), constam resultados da experiência realizada com cinco ônibus de três diferentes empresas, que circularam entre novembro de 2009 e janeiro de 2011 utilizando a mistura B20. Os veículos rodaram um total de 401.766 km e a ação foi monitorada pela ANP,BR Distribuidora, Shell, Ipiranga, Mercedez Benz, Man SE (Maschinenfabrik Augsburg-Nürnberg), Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e a Prefeitura do Rio de Janeiro. Segundo o professor Ph. D e consultor técnico da Ubrabio, Donato Aranda, “o relatório mostra que em todas as empresas observou-se uma redução significativa dos níveis de opacidade das emissões.”

Ao término destes testes, a empresa Mercedes Benz emitiu um relatório de inspeção dos veículos declarando que “Nenhum problema que impeça a utilização do B20 foi identificada”. Segundo Donato, em termos de consumo de combustível, observou-se uma média de 1% de ganho global, sinalizando o B20 como mais econômico.

A garantia da Mercedes Benz

Durnte a Conferência Rio+20, realizada em 2012 na cidade do Rio de Janeiro, a Global Bioenergy Partnership (GBEP), fórum que apoia a elaboração de políticas públicas para a bioenergia, promoveu um seminário onde a Ubrabio lançou campanha para estimular a utilização do B20 em transportes urbanos. A iniciativa recebeu o apoio da Mercedes Benz que, no mesmo evento, garantiu a utilização do biocombustível para motores da marca.

Na oportunidade, o presidente do Conselho Superior da entidade, Juan Diego Ferrés, destacou que a Mercedes Benz já realizou mais de dois milhões de quilômetros de testes operacionais com o biodiesel. “Todos estes testes e a garantia para o uso do B20 nos motores da marca representam a confiança da Mercedes Benz na utilização de combustíveis renováveis”, afirmou Ferrés.

Para a Mercedes, os motores da marca não perdem desempenho nem eficiência quando abastecidos com a mistura B20. “Os motores mais novos têm muitos ganhos ambientais com a utilização do B20, mas a mistura também é possível nos motores antigos. O uso do biodiesel traz vantagens socioambientais e econômicas e ainda fomenta a inclusão produtiva da agricultura familiar”, explicaram o gerente de pós venda e o gerente de desenvolvimento de produto, que representaram a Mercedes no evento.

      Leia o release da Mercedes Benz sobre a garantia na utilização do B20

      Leia o relatório “Biodiesel B20 – O Rio de Janeiro anda na frente