O presidente da Frente Parlamentar do Biodiesel, deputado Jerônimo Goergen, do PP do Rio Grande do Sul, busca convencer o Ministério da Fazenda sobre a necessidade de editar a medida provisória que aumenta a mistura de biodiesel ao diesel de 5% para 7%. Segundo ele, a medida está pronta, mas o ministério acredita que será inflacionária.

Goergen explicou que quando a medida começou a ser discutida, há dois anos, poderia haver este risco porque havia uma crise na produção de soja. Mas ele afirma que a situação mudou:

“Porque o biodiesel é mais barato que o diesel fóssil. Então não há inflação no consumo do biodiesel. E como as indústrias estão com 60% de ociosidade, elas gastam o mesmo custo de produzir 40 para produzir 100. Então quanto mais nós produzirmos, mais barato vai ficar o biodiesel ainda.”

O deputado Jerônimo Goergen defende uma definição de rumos para o biodiesel porque os usineiros estão sem perspectivas de crescimento. A ideia é estabelecer uma adição de 10% do biodiesel ao diesel até 2020.

No ano passado, o país exportou US$ 23 bilhões de petróleo e derivados e importou US$ 43 bilhões.


print