imprimir

O secretário-geral das Nações Unidos, Ban Ki-moon, pediu nesta quarta-feira (20) para que os países priorizem o meio ambiente na política interna e que contribuam com o financiamento climático como uma forma de avanço em direção a um novo acordo climático global até 2015.

“Isso pode fazer mais do que qualquer coisa para desbloquear o enorme investimento necessário para a adaptação às mudanças climáticas e mitigação”, disse Ban em uma reunião com ministros, paralela às negociações climáticas lideradas pela ONU em Varsóvia, na Polônia.

“Temos que enviar os sinais políticos certos”, afirmou, acrescentando que o desenvolvimento de oportunidades de alto impacto destravaria investimentos em energia limpa e fecharia a lacuna de viabilidade entre projetos verdes e à base de combustíveis fósseis, reduzindo o risco dos investimentos em energia renovável e de baixo carbono.

O secretário-geral chamou a atenção para o financiamento público e privado e o apoio ao Fundo Verde para o Clima como três áreas de ação comum. “O financiamento público inteligente pode encorajar investidores privados locais e internacionais”, disse o chefe da ONU, pedindo a investidores e companhias que juntem forças com o setor público.

Ban afirmou que “a maior parte dos ativos dos investidores institucionais são em investimentos com altas emissões de carbono neutro”. De acordo com o secretário-geral, esses investidores têm o poder – e a responsabilidade – de “fazer a sua parte na transformação da economia global e em nos colocar em um caminho mais seguro”.

Ban também pediu apoio ao recém-estabelecido Fundo Verde para o Clima, que funciona sob a orientação da Conferência das Partes (COP), e apoia projetos, programas, políticas e outras atividades em países em desenvolvimento.