Mike Lu
Curcas Diesel – associada Ubrabio
“É simplesmente fantástico! Pela primeira vez estamos vendo o sonho de quatro anos atrás – com a montagem da Plataforma Brasileira de Bioquerosene, a Rio+20, o voo experimental – para este primeiro voo comercial usando bioquerosene no Brasil, é realmente a realização de um grande sonho profissional.”

 

Donato Aranda
Professor PhD consultor técnico da Ubrabio
“Este bioquerosene que existe aqui hoje é uma bombona de 10 mil litros, que está no Brasil há alguns meses e foi encaminhada para análise recentemente. Isso confirmou que apesar de vários meses de estocagem, ele continua dentro da especificação internacional. O próximo passo agora é ter uma produção nacional, já que todo este bioquerosene está sendo importado dos EUA. E é bom saber que existe uma associada nossa, à Ubrabio, que é a Amyris, que tem condição de atender esta demanda, de produzir no Brasil, o bioquerosene para ser utilizado nesses cerca de 200 voos que devem acontecer durante a Copa do Mundo 2014, como foi anunciado pelo presidente da Gol. Outra associada à Ubrabio, a Solazyme, que deverá produzir bioquerosene a partir de microalgas, também está se preparando pra isso. ”

Donna Hrinak
Presidente da Boeing
Abriu seu discurso citando que há 106 anos Santos Dumont ensinava o mundo a voar. E frisou: “sou eu, uma norte-americana que está falando”, causando risos no auditório da Infraero. “Hoje, o Brasil ensina o mundo novamente a voar. De uma maneira limpa, mais eficiente e sustentável. Para a Boeing é um privilégio poder participar desta iniciativa tão importante”.

 
 

Eduardo Sanovicz
Presidente da Abear

“Há toda uma cadeia produtiva antes e depois do ato em si de voar. E toda essa cadeia constrói cotidianamente as razões pelas quais transportamos no ano passado mais de 100 milhões de passageiros na aviação comercial brasileira. O dia de hoje é para ficar registrado na história da aviação de todo o planeta”.

Odacir Klein
Presidente da Ubrabio
“Uma tese de vida: Sempre digo que sou 70 anos mais moderno do que quando eu nasci. Eu estou vivendo hoje mais um avanço de modernidade. O que é muito gratificante é sentir que empresas aéreas, fabricantes de aviões, equipamentos e empresas produtoras de biocombustíveis, estão todos preocupados e agindo em conjunto para que nós tenhamos um avanço com profundos reflexos para o meio ambiente, a vida das pessoas e a saúde da população. Então, dentro deste contexto de 70 anos é um dia muito especial e muito feliz.”
 

Paulo Kakinoff Presidente da GOLPaulo Kakinoff
Presidente da GOL
“A experiência desse voo para nós é motivo de orgulho. É um momento histórico. Neste avião estão as entidades que trabalharam muito nos últimos anos para fazer com que esse voo fosse possível. Para GOL, ser a transportadora dessa ideia, dessa tecnologia e das pessoas que protagonizaram esse desenvolvimento é mais do que um orgulho, é uma honra e a possibilidade de nós vislumbrarmos qual será o futuro da aviação na utilização de biocombustíveis. É um projeto muito promissor que não tem barreiras visíveis para ser implementado e que tem trazido a bordo o que há de mais avançado em inteligência e tecnologia de desenvolvimento de biocombustível, aqui no Brasil e com os parceiros internacionais. Colocar o Brasil numa posição de vanguarda em tecnologia é motivo de satisfação pra todos nós.”

Paulo Mendes
B100 – associada Ubrabio
“Este voo foi uma marco. É o início de um futuro mais próximo. A viabilidade do programa passa pelo Governo Federal dele implantar uma obrigatoriedade como ele fez no início do B2 (2% de biodiesel adicionado ao diesel fóssil). Isso vai gerar riqueza e dar exemplo ao mundo, que, apesar de realizar pesquisa há anos, ainda não tornou obrigatório o uso.”

 


print