imprimir

A Airbus pretende impulsionar a produção de combustíveis biológicos para serem utilizados em aviões, adianta o Jornal de Negócios. 


A empresa tem procurado parcerias no Brasil para promover a utilização de plantas não comestíveis e de resíduos orgânicos na produção de combustíveis que podem abastecer aviões no ano de 2014. Segundo o gestor do programa de novas energias da Airbus, Frederic Eychenne, “talvez pudéssemos produzir o combustível para os próximos jogos olímpicos ou para o campeonato do mundo, porque haveria procura e consumidores para essa ocasião”. O responsável acrescentou ainda que “será uma boa alavanca para acelerar a produção de ‘jet fuel’ renovável no Brasil”.

Adicionalmente, a empresa fabricante de aviões está a tentar desenvolver centros de abastecimento em todos os continentes, de forma a estabelecer uma ligação entre produtores, refinarias e transportadoras aéreas. A Comissão Europeia lança como meta a produção de dois milhões de toneladas de energias alternativas para transportadoras aérea europeias para o ano de 2020. Já Frederic Eychene prevê que o biocombustível deva atingir o mesmo preço que os combustíveis fósseis entre 2025 e 2030.