imprimir

A capital económica da China, Xangai, pretende retirar das suas estradas mais de 60 mil veículos altamente poluentes nos próximos dois anos, bem como obrigar os automóveis que se registem na cidade, a partir de agora, a cumprirem as normas de emissões equivalentes às normas europeias Euro V , a partir de 2014.
 
De acordo com o “Cinco Días”, a Associação de Protecção do Meio Ambiente de Xangai irá realizar um plano para reduzir os problemas de contaminação decorrentes do tráfego de que a metrópole oriental é vítima, tal como todas as grandes cidades chinesas.

Para isso, a associação irá impor uma obrigação formal de cumprir as normas de emissões da China V, equivalentes às europeias Euro V, as quais reduzem a quantidade de dióxido de enxofre libertado pelos veículos em cerca de 80% em comparação com as normas China IV, que vigoram, teoricamente, na actualidade.

“A contaminação dos automóveis é mais prejudicial para a saúde da população que a contaminação industrial, já que os automóveis estão muito mais próximos das pessoas”, alertou Cai Zhigang, responsável da Associação ambiental, citado pelo “Cinco Días”.

Segundo o mesmo, o tráfego de Xangai gera 90% das partículas orgânicas voláteis que se respiram na cidade chinesa, assim como 66% do dióxido de nitrogénio do ar.

O plano das autoridades, apresentado agora, assegura que quando entrar em prática “mais de 90% dos veículos poderão cumprir as novas normas de emissões a partir de 2014”.

Segundo o ministério da Protecção do Meio Ambiente da China, 40% das 113 maiores cidades da China, cada uma com milhões de habitantes, sofre níveis de contaminação superiores aos limites oficiais que regem as leis do meio ambiente da Ásia.