imprimir

O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) contribuiu para a valorização do sebo bovino, um subproduto da indústria pecuária nacional. A análise é do Boletim dos Combustíveis Renováveis, divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério de Minas e Energia. De acordo com o documento, o biodiesel agrega valor ao sebo, cujo preço tem crescido nos últimos anos, em comparação com o do óleo de soja.

Com um dos maiores rebanhos bovinos comerciais do mundo cerca de 200 milhões de cabeças -o Brasil abate cerca de 40 milhões de cabeças por ano. Hoje, o sebo bovino é a segunda matéria-prima mais utilizada na produção de biodiesel (13,8% do total no ano passado), perdendo apenas para a soja (82,0%).

Além do biodiesel, o sebo bovino é destinado à indústria alimentícia, à indústria de produtos de higiene e limpeza e à produção de ração animal.

Por Comunicação Social com Biodiesel BR.