imprimir

Foi aprovado, na Câmara Municipal de Porto Alegre, no último dia 22 de dezembro, um projeto de lei que beneficia o meio ambiente e a saúde da população. Apoiado unanimemente pela Casa, o projeto de autoria do vereador Carlos Todeschini (PT), visa o aumento da mistura de Biodiesel ao diesel convencional, atualmente em 5% (obrigatoriamente) para 15% (B15). O objetivo, segundo Todeschini, é que o teor de Biodiesel chegue a 100% nas bombas de abastecimento da capital gaúcha gradualmente.
 
O autor do projeto argumenta que a emissão de poluentes pelos veículos do transporte público será minimizada com a utilização do Biodiesel, obtendo benefícios à saúde dos gaúchos. Os números são assustadores. Segundo o estudo inédito, divulgado recentemente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com a Ubrabio, somente nas 6 principais capitais (Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Brasília e Belo Horizonte) foram registradas, em 2007, mais de 5 mil mortes decorrentes da poluição.
 
Além disso, a emissão destes gases poluentes acarreta sérios problemas ambientais, como o agravamento do efeito estufa que provoca o desequilíbrio energético no planeta, acelerando o fenômeno conhecido como aquecimento global com consequências diretas sobre o aumento no nível do mar e intensificação de enchentes e secas, entre outros. E para ir contra esses malefícios o projeto visa o B15 para os porto-alegrenses. Isso significa ar mais puro, mais saúde para as pessoas, maior cuidado com o meio ambiente, além de mais empregos na cidade e no campo, neste caso contribuindo especialmente para o aumento da renda de mais de 100 mil famílias que fornecem matéria-prima para a produção de Biodiesel em todo o país.
 
 
Assessoria de Comunicação Ubrabio
União Brasileira do Biodiesel
Fonte: Câmara dos Vereadores de Porto Alegre