imprimir

Depois de receber volumosos investimentos nos últimos cinco anos, o setor produtor de biodiesel no Brasil poderá receber investimentos de até R$ 7,36 bilhões nos próximos dez anos, de acordo com as projeções da FGV Projetos, que realizou o estudo “O Biodiesel e sua Contribuição ao Desenvolvimento Brasileiro”, a pedido da Ubrabio. Com os aportes, a capacidade produtiva nacional deve sair dos atuais 5,1 milhões de metros cúbicos para 14,3 milhões de metros cúbicos até 2020.
O investimento considera a adoção de novas metas para o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), que atualmente exige a adição de 5% de biodiesel no diesel. Segundo a Ubrabio, o setor já tem capacidade para atender a adição de 10%, mas precisará destes novos investimentos para atingir mistura de 20% em 2020.
O avanço previsto para a próxima década deve gerar 534 mil empregos diretos e 6 milhões indiretos. Entre 2005 e 2010, foram criados 1,3 milhão de empregos nesta área. Entre 2005 e 2010, os investimentos somaram R$ 4 bilhões, enquanto a capacidade produtiva saltou de 85,32 mil metros cúbicos ao ano para os atuais 5,1 milhões de metros cúbicos, superior à demanda da mistura vigente de 5%.
Assessoria de Comunicação Social
Ubrabio/FGV