Foto: Bruno Laviola/Embrapa Agroenergia

Realizada na última semana (15/06), a 27ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial de Oleaginosas e Biodiesel do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (CSOB) abordou a contribuição do biodiesel na redução das emissões de gases de efeito estufa.  

Presidida pelo diretor Industrial da Fábrica de Biodiesel da Fiagril, Pedro Granja, que também é vice-presidente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), a Câmara contou com a presença do ministro interino Blairo Maggi e do senador Cidinho Santos.

Segundo Granja, a reunião compreendeu, entre os seus principais temas, o papel do biodiesel no acordo sobre as mudanças do clima que foi apresentado na COP 21 em Paris. 

O presidente ainda afirmou que o foco principal neste momento é unir as forças (públicas e privadas) para que seja concluído, o quanto antes, o Projeto “Ciclos Teste de Motores”, coordenado pelo Ministério de Ciência Tecnologia e Inovação e o Ministério de Minas e Energia, que está validando o aumento de misturas.

“Quem sabe consigamos chegar o quanto antes a 15% da mistura do biodiesel no diesel, de acordo com a lei em condições obrigatórias, para compensar todo esse cenário crítico brasileiro, de retração da economia e diminuição de demanda do diesel”, defendeu.

Outro item importante discutido foi a Plataforma Mineira de Bioquerosene. “O bioquerosene é uma oportunidade que existe mundialmente para redução de emissão de gases. Hoje, a aviação tem uma participação de 2% no mundo sobre a emissão de gás carbônico atmosférico, consequentemente é um tema muito importante que segue em discussão”, frisou o presidente do fórum.

Também foi abordado o uso de patrimônio genético para fins de pesquisa e consequente uso de Oleaginosas Nativas, que requerem estar sob as regras do Decreto 8772 e a Lei 13.123/15 para seu acesso e uso.


print