Representantes da Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene) e da Aprobio (Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil) estiveram nesta terça-feira (14) em audiência com o ministro interino da Fazenda, Henrique Meirelles, para apresentar as demandas do setor.

Executivos solicitaram o apoio da pasta para intensificar a implantação do marco regulatório do biodiesel, com a possibilidade de antecipação do aumento da mistura obrigatória para 8% ainda este ano.

Atualmente, todo o diesel comercializado no Brasil conte 7% de biodiesel – combustível renovável produzido a partir de matérias-primas nacionais, como o óleo de soja e o sebo bovino. O aumento do uso de biodiesel estimula a indústria brasileira e agrega valor à produção agrícola, além de diminuir a dependência de combustível fóssil e reduzir as emissões de poluentes atmosféricos.

Em março de 2016, o governo autorizou a evolução da mistura obrigatória para 8% até março de 2017, chegando a 10% até 2019, por meio da Lei 13.263/2016. Também é facultado o uso deste biocombustível em misturas que podem chegar a 20% e 30% aos grandes consumidores de diesel.

Participaram da reunião o ministro interino da Fazenda, Henrique Meireles; a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescosi; o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid; o ex-deputado federal Sandro Mabel, o vice-presidente de Assuntos Tributários da Ubrabio, Irineu Boff; o vice-presidente Financeiro da Ubrabio, Antin Bianchini; o diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski; o diretor do Conselho da Aprobio, Alberto Borges de Souza, e o superintendente da Aprobio, Julio Minelli.


print