imprimir

Este foi o teor do Seminário B20 Metropolitano, que aconteceu na última quinta-feira (21) e trouxe nova abordagem para os problemas ambientais: a saúde pública associada às emissões decorrentes da queima de diesel fóssil

A poluição está entre os dez principais fatores de risco de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a pesquisadora da Fiocruz Samya de Lara Pinheiro, meteorologista, doutora em Medicina pela USP e pela Escola de Saúde Pública de Harvard, a poluição causa 3,5 milhões de mortes por ano.

“Em São Paulo, por exemplo, estudos mostraram que, em 2011, foram 17,5 mil mortes, gerando uma despesa de R$ 246 milhões com hospitais e internações”, destacou a pesquisadora, durante apresentação da palestra “Impactos diretos e indiretos da Poluição Atmosférica Veicular na Saúde Humana – benefícios e cobenefícios da redução de emissões de poluentes no contexto da saúde pública”, no Seminário B20 Metropolitano – Mobilidade Sustentável para as cidades Brasileiras.

Para a Dra. Samya, o seminário permitiu abordar os problemas associados às mudanças climáticas e à saúde pública com o setor de mobilidade, uma novidade segundo a especialista. “Foi uma interface que a gente nunca havia encontrado antes, conseguir falar com a esfera do transporte urbano sobre os problemas ambientais e os problemas associados à saúde pública decorrente das emissões veiculares”.
 
Promovido pela Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene) em parceria com a Embrapa Agroenergia, com apoio da Frente Parlamentar mista do Biodiesel e do Banco de Brasília – BRB, o evento teve como objetivo promover o debate entre as prefeituras das maiores cidades brasileiras sobre a ampliação
do uso de biodiesel no Brasil e seus impactos econômicos, sociais e ambientais, com foco na saúde pública.

“Um debate extremamente pertinente não só no quesito mudanças climáticas, mas também dos problemas associados aos níveis de poluentes nas grandes cidades, para que se possa construir políticas mais consistentes, não só para pura e simples implementação, por um interesse econômico, mas sim buscando benefícios para a sociedade como um todo”, concluiu a doutora.

Debates

Participaram da mesa de abertura o coordenador da Comissão Executiva Interministerial do Biodiesel (CEIB) e representante da Casa Civil, Rodrigo Rodrigues, o presidente da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel, deputado federal Evandro Gussi (PV/SP), e os deputados federais Jerônimo Goergen (PP/RS) e Bohn Gass (PT/RS), o chefe geral da Embrapa Agroenergia, Manoel Teixeira, o superintendente de Abastecimento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), Aurélio Amaral, a diretora do BRB Kátia Peixoto, o secretário de Mobilidade do Distrito Federal, Carlos Tomé, e o presidente do Conselho Superior da Ubrabio, Juan Diego Ferrés.

A apresentação das autoridades foi seguida de quatro palestras e debates, sob a mediação do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro Donato Aranda.

Aurélio Amaral falou sobre a qualidade e distribuição do biodiesel no Brasil. Hoje, o país tem capacidade autorizada pela ANP para produção de 7,5 bilhões de litros de biodiesel por ano, aproximadamente. Em 2014, foram comercializados 3,4 bilhões de litros do combustível renovável e espera-se que este volume aumente para 4,2 bilhões este ano.

Em seguida, o coordenador-geral de Biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Marco Aurélio Pavarino, falou sobre a importância do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) para a agricultura familiar no Brasil. Só em 2014 foram adquiridos R$ 3,2 bilhões em matéria prima da agricultura familiar para produção de biodiesel.

O vice-presidente da associada à Ubrabio B100 Participações, Paulo Mendes, contou sobre a experiência única no país e no mundo de 2 mil ônibus utilizando B20, isto é, a mistura de 20% de biodiesel no diesel, entre 2011 e 2013, na cidade de São Paulo. Para Mendes, o B20 é o combustível ideal para tornar este transporte mais sustentável.

A pesquisadora da Fiocruz Samya Pinheiro encerrou as apresentações abordando os impactos da poluição veicular na saúde pública e a necessidade de ampliação do uso de fontes limpas de energia.

Homenagens

O Seminário também celebrou o aniversário da Ubrabio e da Embrapa Agroenergia. Na ocasião, a Ubrabio homenageou ainda duas importantes personalidades que contribuíram para a evolução do PNPB, o presidente da Ubrabio, Odacir Klein e a ANP, na figura do diretor Florival Carvalho.

Veja a galeria de fotos

Leia também:

“É fundamental que sensibilizemos o Governo Federal com uma pauta importante, uma pauta positiva, o incremento da mistura de biodiesel no nosso diesel”, defende o deputado federal Evandro Gussi, em sessão da Câmara – Leia o discurso completo aqui