Agricultores familiares, pesquisadores, técnicos extensionistas e empresários do agronegócio reúnem-se esta semana no município de Tomé-Açu, no Pará, para trocar experiências e discutir os rumos da cadeia produtiva da palma de óleo – ou dendezeiro – no Pará. O II Workshop do Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil: agricultura familiar e pesquisa, desenvolvimento & inovação, nos dias 26, 27 e 28 de novembro, é uma realização da Embrapa e do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Cerca de 120 agricultores, de onze municípios da mesorregião nordeste paraense, participarão do evento. De acordo com Rui Gomes, agrônomo da Embrapa Amazônia Oriental, a ideia é discutir temas importantes para os agricultores familiares que estão inseridos na cadeia produtiva da palma e conhecer as experiências que esse público vem desenvolvendo no campo.

Entre as experiências da agricultura familiar com o dendê, destaca-se a consorciação dessa atividade com plantios de culturas perenes e anuais. Dendê em sistemas agroflorestais, dendê nas entrelinhas do cacau, do milho, da mandioca e do arroz, serão apresentados pelos agricultores aos pesquisadores e técnicos. E na sexta-feira, dia 28, o grupo vai conhecer in loco os resultados desse trabalho.

“A Embrapa Amazônia Oriental não tem informações científicas finais sobre a consorciação do dendê com outras culturas para recomendar aos produtores. Essa troca de experiências é um momento muito rico para esse trabalho que ainda está em desenvolvimento. É no campo onde tudo começa”, explica o pesquisador Rui Gomes.

Outro ponto a ser debatido no workshop é a recente regulamentação para a cultura da palma de óleo quanto à questão do uso de agroquímicos e a fitossanidade dos plantios. Além disso, a pesquisa vai apresentar resultados de estudos socioeconômicos sobre a integração de pequenos produtores com grandes empresas dendeicultoras, o caso da comunidade do Arauaí, em Moju.

Expansão – Segundo a Organização das Nações Unidades para a Alimentação e Agricultura, o óleo de palma (ou óleo de dendê) é o óleo vegetal mais produzido e comercializado no mundo, condição esta que deverá ser mantida nas próximas décadas. Estima-se que a demanda mundial de óleo para o consumo alimentar, em 2050, seja de 240 milhões de toneladas de óleo, praticamente o dobro do consumo atual.

O Brasil já possui mais de 30 milhões de hectares zoneados em áreas desflorestadas aptas para o cultivo do dendezeiro, e a expansão dessa produção no Pará cresce a cada ano. O estado é hoje responsável por 95% da produção nacional de palma de óleo.

Dados da Embrapa Amazônia Oriental mostram que nos últimos dez anos, o tamanho da área plantada de palma no Pará praticamente dobrou de 69.230 hectares em 2002 para 139.073 hectares em 2012. A produção de palma concentra-se basicamente nessa região, com destaque aos municípios de Moju, Acará e Tailândia.


print