Com o início da mistura B6 (6% de biodiesel) no diesel, a produção brasileira deste biocombustível atingiu, em julho, o maior volume mensal neste ano, com 302 mil m³, quantidade 26% maior do que a produzida em junho (238 mil m³). No acumulado do ano, a produção do combustível atingiu 1.793 mil m³, que representa um crescimento de 8% em comparação ao mesmo período em 2013, quando foram produzidos no País 1.660 mil m³. Os dados constam no Boletim Mensal de Combustíveis Renováveis nº 79, divulgado mensamente pelo Departamento de Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia (MME).

A capacidade instalada de produção de biodiesel se manteve praticamente estável em julho, com 7.538 mil m³/ano. Dessa capacidade, 91% dos produtores são empresas detentoras do selo Combustível Social, criado para estimular a inclusão social na agricultura dentro da cadeia produtiva do biodiesel.

Quanto ao etanol, o boletim aponta que a produção do combustível no mês de julho (safra 2014/2015) foi de 3,4 bilhões de litros. Foram consumidos no mês 1,91 bilhão de litros de etanol, em patamar similar ao de junho deste ano.

Figura entre os destaques do mês para o setor de biocombustíveis a ratificação, pelo Senado, da elevação da mistura obrigatória de biodiesel ao óleo diesel definida pelo Poder Executivo (de 6% desde 1º de julho passado e 7% a partir de 1º de novembro de 2014), e ainda o aumento para 27,5% do limite máximo de adição de etanol anidro na gasolina. Essa última medida está sujeita a testes que comprovem a viabilidade técnica.

O boletim tem como objetivo compilar informações relevantes sobre etanol e biodiesel e disponibilizá-las de modo transparente e sistemático para a sociedade.

print