imprimir

Nesta quinta e sexta-feira (10 e 11/11), pesquisadores representando todas as regiões do Brasil estarão reunidos na Embrapa Instrumentação, São Carlos (SP), para o primeiro workshop de gestão da 2ª fase da Rede de Nanotecnolgia Aplicada ao Agronegócio (Rede AgroNano). Os líderes dos projetos que compõem a rede vão apresentar durante os dois dias de evento detalhes do que está sendo desenvolvido em cada um e discutir a forma de gestão e alinhamento das atividades, com o objetivo de se aproveitar o máximo os recursos e otimização dos resultados.

A rede atualmente conta com a participação de 158 pesquisadores doutores de 12 unidades da Embrapa e de 18 universidades, além de mais de 150 alunos sendo orientados por esses pesquisadores. A segunda fase da Rede Agronano é composta de cinco projetos técnicos: desenvolvimento de sensores; pesquisas em filmes biopoliméricos e embalagens inteligentes; nanobiocompósitos; desenvolvimento de novos materiais a partir de resíduos da agroindústria e; impactos e nanotoxicidade, um de gestão e um projeto específico para a transferência das tecnologias geradas.

A Rede AgroNano teve inicio em 2006, financiada pela Embrapa, e reflete a política nacional de nanotecnologia da Empresa. Em sua primeira fase, referente ao período 2006 a 2010, foram investidos 3 milhões de reais em pesquisa e na articulação da rede, tendo como resultado a geração de 174 artigos científicos publicados em revistas reconhecidas, de padrão nacional e internacional; a solicitação de 7 patentes, além de mais de 400 trabalhos apresentados em congressos científicos.

Durante a primeira fase da Rede foi construído o primeiro módulo do Laboratório Nacional de Nanotecnologia Aplicado ao Agronegócio (LNNA), que teve investimentos da Finep; atualmente, está em construção o segundo módulo, que deverá estar em funcionamento no segundo semestre de 2012. A Rede AgroNano possui projeção internacional, tendo representado o Brasil em diversos eventos científicos ou missões diplomáticas interrnacionais.