Mario Garnero, Presidente da Brasilinvest, banco de investimentos pioneiro do Brasil, declarou ontem durante uma conferência no Faculty Club da Universidade de Harvard que a liderança do Brasil em biocombustíveis o está levando a uma posição privilegiada em relações internacionais.
A palestra de Garnero foi feita no Fórum de Sustentabilidade na Universidade de Harvard. Seu discurso se concentrou em ideias emergentes sobre abordagens regionais integradas para administração das complexas interações de ambiente e desenvolvimento em partes do mundo em crescimento. Garnero foi um palestrante convidado no Programa de Ciência da Sustentabilidade de Harvard, que ajuda a elaborar melhores práticas com a ajuda de especialistas da China, Brasil e Índia.
Ele foi apresentado à plateia pelo Professor Paul Moorcroft, um dos maiores acadêmicos no campo de Desenvolvimento Sustentável na Universidade de Harvard. “Mario Garnero é um pioneiro de biocombustíveis. Seu papel na produção de veículos movidos a etanol quando o Brasil estava passando por uma grave crise de petróleo nos anos 70 e 80 é da maior importância”, afirmou o Professor Moorcroft.
Para William Clark, Titular do Programa de Ciência da Sustentabilidade na Universidade de Harvard, Garnero veio a Harvard “com um profundo conhecimento das implicações de nossa ciência para o Brasil, e quais comunidades devem ser envolvidas para garantir que o trabalho realizado em Harvard seja relevante e conhecido por aqueles cujas decisões sobre desenvolvimento econômico podem afetar no Brasil”.
Durante sua fala, Garnero destacou que aproximadamente 80% dos veículos no Brasil são movidos a motor flex. “As aplicações de biodiesel e aviação estão também liderando o caminho para o futuro. Reservas de petróleo em águas profundas descobertas ao longo das costas brasileiras também ajudarão a impulsionar o Brasil à categoria de uma superpotência energética”, indicou Garnero. “É um desafio tão difícil que a Pesquisa e Desenvolvimento envolvida produzirá efeitos positivos importantes para as capacidades tecnológicas do Brasil”, ele acrescentou.
Garnero defendeu uma maior cooperação e comércio de biocombustíveis entre os EUA e o Brasil. “Há muito para se desenvolver dentro do MOU de 2007 entre os EUA e o Brasil sobre Etanol. Energias novas e limpas são uma excelente plataforma para relançar a cooperação hemisférica”. Garnero deve participar de uma importante conferência internacional sobre a Economia Verde no Harvard Club em Nova York, em 26 de setembro de 2011.
print