imprimir

Assentados da reforma agrária de Motuca (SP) estão investindo no cultivo de soja e outras oleaginosas para produção de Biodiesel como alternativa à produção de cana-de-açúcar. A experiência piloto que vem sendo desenvolvida com o suporte da Embrapa em conjunto com a Fundação de Estudos de Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf- Botucatu), tem potencial de expansão. Um dia-de-campo marcado para esta sexta-feira, 29/04, divulgará a iniciativa junto a agricultores e empresários do setor de Bioenergia na região.

O uso do selo social é uma das vantagens para a indústria de processamento que a pesquisadora Júnia Rodrigues de Alencar, da Embrapa Transferência de Tecnologia, apresentará em palestra sobre o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel durante o dia de campo da sexta-feira.

Organização – Como a cultura da soja exige produção em escala, foi preciso contar com a organização dos agricultores. Cerca de 30 famílias do Assentamento I de Monte Alegre aceitaram integrar o projeto piloto. Durante o dia de campo, iniciam a primeira colheita da soja, diz Abel – que durante o evento falará sobre a iniciativa.

A área ocupada com o cultivo da oleaginosa é de cerca de 200 hectares, “mas há potencial para chegar a mil hectares”, ressalta o pesquisador. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente de Motuca, Jair dos Santos, acrescenta que o desejo de adesão dos assentados tem sido maior do que a capacidade de investimento da prefeitura – que atualmente oferece o maquinário.

O secretário também tem planos de ampliação da iniciativa com envolvimento da totalidade das 408 famílias da Fazenda Monte Alegre que ocupam um total de 7 mil hectares e planeja a construção de uma usina de pequeno porte para o processamento de até 5 milhões de litros por ano com a produção local.

No dia de campo, o secretário faz palestra sobre Associativismo e Cooperativismo e o prefeito de Motuca João Ricardo Fascineli Santos falará sobre o apoio à agricultura familiar. As culturas de girassol e crambe também começam a ser testados nos assentamentos.