imprimir

Estão reunidos em Jacarta, na Indonésia, vários representantes do setor de oleaginosas de todo o mundo. Aconteceu esta semana, e termina nesta quinta-feira (11/10), o Congresso Internacional sobre Palma de Óleo. O coordenador de Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Denílson Ferreira, está representando o Brasil na solenidade. Ele fará a apresentação do Programa de Produção Sustentável da Palma de Óleo no Brasil, lançado em maio em Belém do Pará pelo presidente Lula.

Esta é a 8ª mesa-redonda sobre sustentabilidade, a Roundtable on Sustainable Palm Oil (RSPO, sigla em inglês). A intenção é orientar os produtores, ambientalistas, empresários e líderes dos governos participantes (no caso, 40 países), sobre tecnologias disponíveis e áreas aptas à produção da oleaginosa, que também é responsável pela produção de Biodiesel.

De acordo com Ferreira, a regularização fundiária de mais de mil produtores da oleaginosa na região paranaense é uma das ações do Governo Federal já concretizada. “Também já temos como resultado a formatura dos 160 alunos da primeira turma do curso de capacitação para técnicos e extensionistas”, cita ele.

O encontro não acontece na Indonésia por um acaso. O país foi responsável, em 2009, pela produção de 20,9 milhões de toneladas de litros de óleo de palma. O maior produtor do mundo, seguido pela Malásia, com 17,9 milhões de toneladas. O Brasil, por enquanto, está em 11º nesse ranking, produzindo 0,1% do total dos 45 milhões de toneladas em todo o mundo. Desses, balanço mundial de 2009, cerca de 80% são destinados à alimentação, 10% aos biocombustíveis e 10% à indústria química.

Assessoria de Comunicação Social
União Brasileira do Biodiesel – Ubrabio
Fonte: MAPA