Após 20 anos de testes com oleaginosa, Embrapa anuncia junção de dois tipos
de palma que evita ataque de pragas
Boas novas para a produção do Biodiesel. Foi apresentado esta semana, no Pará, a nova cultivar híbrida de palma, também conhecida como dendê. A Embrapa, responsável por colocar em prática o projeto de expansão de produção, garante resistência e produtividade. O híbrido da palma (ou dendê) se dá pelo cruzamento entre o dendezeiro de origem africana e o originário da região Amazônica caiaué.
O cultivo do híbrido só pôde ser efetivado após 20 anos de testes. Segundo Ronaldo Andrade, gerente-geral da Embrapa Transferência de Tecnologia, durante a fase experimental ocorria um fenômeno chamado “amarelecimento fatal”, provocado por uma praga. Após a junção dos dois tipos de oleaginosas nenhum sintoma de amarelecimento apareceu. “Isso o torna ideal para o cultivo em regiões indicadas como preferenciais para o plantio da palma de óleo pelo zoneamento climático, como a região Norte”, destaca Andrade.
O Brasil tem, atualmente, de acordo com informações do Zoneamento Agroecológico da Palma de Óleo, cerca de 32 milhões de hectares prontos para a produção do dendê híbrido.
Segundo dados do Zoneamento, mais de 4,5 mil agricultores familiares do Pará e de Roraima estão cadastrados e aptos a participar do programa.
Assessoria de Comunicação Social
União Brasileira do Biodiesel – Ubrabio
Fonte: Embrapa Agroenergia/ Ministério da Agricultura

print